Iniciar

Para iniciar esta Página, faça um clic na foto.
Navegue....e mergulhe, está num rio de águas límpidas!

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

SONHAR PEMBA

video
  Já lá vão décadas. Outras poderiam vir, que Pemba, a ex-Porto Amélia, continua na retina e na Alma de muitos que lá nasceram e viveram. as paisagens, as suas Gentes, deixaram marcas indeléveis na maioria dos que fizeram daquele rincão a terra sua. Bate a saudade, que não envergonha. Sonha-se com a Baía, que de sonho é a sua imagem. E, quanto mais nos afasta o tempo, mais nos aproxima o desejo de rever aquele chão macua.
 Estas imagens de mão amiga, são de tudo isso uma prova insofismável, e dos elos que ligam muitos de nós aquele Paraíso no Índico, com Gente dentro, que vai sabendo receber....


domingo, 22 de dezembro de 2013

CAUTELA E CALDOS DE GALINHA...

... nunca fizeram mal a ninguém!

 A Natureza, já por si, é imprevisível. Melhor será que a não desafiemos!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

BOAS FESTAS!

   Para todos os que vão passando pelas margens do Vouguinha2 e são caminhantes nas suas trilhas, independentemente de crenças ou religiões, votos dumas Festas Felizes e dum Natal de Paz e Harmonia!


quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

COMISSÕES DO DESPERDÍCIO...




... de tempo e dinheiro, sobram.
Falta eficácia e, sobretudo, coerência!


Nunca dei  qualquer valor às Comissões de Inquérito. Sempre as entendi como pura perda de tempo e forma subtil de ocupar e justificar o desmesurado número de deputados no Parlamento. Andam por ali em sessões, puxam dos seus galões para fazerem comparecer esta ou aquela entidade, lava-se roupa suja, com sabão que, por vezes, raia o insulto, e no fim o que temos? Nada. Nada de concreto e de útil, nem para nós nem para aquele arremedo de Democracia de que se diz aquelas Comissões serem  um dos instrumentos.
Ainda assim, não deixa de ser caricato que os partidos políticos que mais useiros e vezeiros são na criação dessas comissões, garantindo-lhes eficácia, verdade e resultados palpáveis, sejam, como no caso do PS, os que ora vêm protestar contra os resultados desta Comissão de Inquérito às SWAP. Haja coerência!!!

Quanto à minha posição, a propósito das Comissões de Inquérito, há muito que penso assim. Desde 2008 que o venho reclamando:

                                                                   AQUI

                                                     

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

MIMOS DE NATAL

 
Dou conta que muitos dos meus amigos, tocados pelo espírito natalício, andam por aí fazendo uma lista de presentes a um Pai Natal de toga preta, a que alguns chamam de Pai Constitucional, para que lhes deixe fora do sapatinho um corte nas pensões, eufemisticamente, conhecido por "Convergência das Pensõ
es". Ainda não lhe fiz tal pedido e nem sei se valerá dobrar os joelhos a essa divindade do Ratton. Avisado que me esforço por ser, sei que, se não forem aquelas prendas, com lacinhos pretos, outras divindades se encarregarão de me presentear com uma garrafa que, no lugar de champanhe, será aberta no Novo Ano, com um qualquer líquido corrosivo, daquele que não nos faz borbulhas na barriga!.... É que, pensando bem, seja um golpe de machado ou de catana, só nos fará sangrar. Ainda mais!....
É a vida. Alguém a fez e vai fazendo assim......

domingo, 15 de dezembro de 2013

CARTA À DEUSA ATENA



Hoje, é Domingo. Mas não venho aqui cumprir e rezar nenhum acto de contricção! Tenho alguns pecados, mas não neste tema. É uma resposta à  Deusa Atena.... ou a todos os sábios deste Mundo tão terreno.


 Minha cara Atena, não te posso deixar sem resposta, que, se por mais não fosse, a consideração que tenho
 por ti, a exige. Começo com uma nota de humor à parte inicial deste teu último comentário: julgas, e bem, conhecer-me há muitos anos. Eu diria que, porque me conheces há tanto tempo como eu te conheço a ti, desde os tempos dos calhamaços de capa encarnada a que davam o nome de História Universal!  Atena, com estes teus dois comentários, com especial ênfase no início do primeiro "Até que enfim, que te vejo ao lado dos professores" e com o que verteste neste último, estás, penso que involuntariamente, a fazeres de mim um exterminador implacável, algo parecido com um filme tipo "CAÇA PROFESSORES 2". Não posso aceitar esse estigma, minha cara. É injusto, desprovido de qualquer razão válida, que até sugere a antiga marca do "quem não está comigo, está contra mim"...
Não sei se, como dizes, me tenho exprimido, quanto a esta temática, de forma que te haja confundido, ao ponto de não descortinares a minha linha de pensamento. Será problema semântico, da minha parte, que, reconheço, sou pouco cuidadoso na escrita e,raramente revejo o que escrevo. Porque, no campo das ideias, e da sua discussão, não descortino onde se situem as tuas dúvidas.
Acabaste por me estampar, aqui, uma imagem de menor consideração pela Classe dos Professores e deixas-me, injustamente, embaraçado perante os muitos profissionais que, inclusive no Face, fazem o favor de ser meus amigos ou estarem nos meus contactos, para já não referir familiares, que não são poucos (um deles até deve ir fazer a tal prova que eu defendo), quando no concrecto e, no global, tenho por eles a maior estima e consideração.
Desafio-te, amiga, e entende isto sem qualquer agastamento para contigo, a fundamentares as minhas tomadas de posição que te levam a sugerir a minha pseudo animosidade para com os docentes deste País. Que eu terei o cuidado, se for caso disso, de apontar registos, quer por aqui, quer nos meus blogues, Vouguinha e Vouguinha2,  onde escrevo desde 2007, em que defendo e enalteço as razões que lhes assistem, em muitos aspectos, começando pela postura e algum alheamento dos pais no esforço de educação dos filhos, passando pelas dificuldades que lhes são colocadas, a eles docentes, perante as turmas desmesuradas, em centros educativos que são autênticos armazéns ou madrassas.....
Não tomo a árvore pela floresta. E, se é verdade que tenho para mim como pressuposto objectivo que a Educação em Portugal se degradou de forma notória a seguir à Revolução, também é verdade que o ferrete dessa falência tem muitos e diversos fautores, ancorados no todo que é a nossa Sociedade.
As minhas ideias, e é no campos das ideias e das políticas que debato, nunca no das pessoas, é fundamentada.
Criei e eduquei 5 filhos, por décadas, com instrução ministrada nos mais diversos estabelecimentos de ensino e por professores das mais diversas competências e dedicação. Os netos ainda por lá andam. Tal, permitiu-me ir-me inteirando, ao longo do tempo, do rumo da Educação, mormente de alguns autênticos "milagres" de que muitos professores foram executantes, a despeito de outros. Fiquei com uma visão alargada deste fenómeno.
E, é com a autoridade que tal experiência me cauciona, que critiquei e vou continuar a criticar, sem que tal seja cruzada contra esta ou aquela classe, mas porque tenho opinião livre e nunca a deixo amarrar ou condicionar.
A Classe dos Professores, Atena, não é só a que se espelha na imagem que o Sindicato da CGTP, transmite ao País. Há mais vida, professorado e organizações de classe,  para lá do professor Nogueira, de quem, a propósito, te coloco a questão retórica se alguma vez o ouviste concordar - uma só vez que fosse - com as medidas da Tutela. Desta ou de qualquer outra.... Não viste, nem verás, que a Agenda é outra....
Concordo e defendo a avaliação dos professores, sim. Não por birra ou qualquer preconceito, mas porque a encaro medida válida, como adiante tentarei, de modo breve,  fundamentar. Condenei e continuo a condenar, é verdade, aquele "chavascal" nas galerias do Parlamento, com o senhor Nogueira à cabeça. Não tanto por ser ilegal, mas mais pelo péssimo exemplo transmitido aos educandos, a quem, legitimamente, os professores exigem disciplina e ordem,  nas saulas de aula!
Quanto à "Avaliação", Atena, defendo, até, que ela tenha lugar na fase de admissão ao cargo, com uma bateria de exames que, para lá dos saberes específicos, inclua os de âmbito psicológico, nesta e noutras áreas sensíveis de serviço público, para que os servidores empenhados e competentes não tenham o seu estatuto conspurcado por indivíduos sem qualquer vocação, neste caso, para a docência ou com comportamentos pessoais que atentem contra a dignidade dos seus pares.
Da mesma forma que um licenciado, por exemplo, em Direito, não pode ser advogado ou juiz só porque traz um canudo debaixo do braço, acho por bem que um licenciado em Ciências da Educação, ou curso similar, seja avaliado para o exercício do Professorado.Que não, que as Universidades são competentes para aferir dessas capacidades. Acredito que sim, por regra. Mas, numa visão pragmática, não nos podemos esquecer que, algumas, nem sempre o serão, como comprovam as competências de Relvas e o exame ao Domingo do "engenheiro", para não me alongar nos exemplos.
E, pensando assim, qual a violência ou a monstruosidade desta medida?
Para mais, uma Sociedade em que há "canudos" excedentários em muitas áreas, só pode, com toda a legitimidade e oportunidade, valorizar a meritocracia, em detrimento dos hábitos arreigados do "apadrinhamento", do presunto curado, ou da santa intervenção do Cura da aldeia. E, a selecção pelo mérito, só pode ser feita através de avaliações e provas.

Voltam a dizer-me que não, que as admissões já são por critérios de médias de fim de curso. Nem me alongo para explicitar o quanto são diferentes os critérios de atribuição de notas finais entre os diversos estabelecimentos de Ensino Superior, começando, desde logo, pelo desfasamento ente Público e Privado, com prejuízo para os alunos do primeiro...
Sei que não estive só a responder-te, neste lençol de cama larga, tendo aproveitado o ensejo para explanar ideias, as minhas, mas termino dizendo, sem qualquer hipocrisia, o que tenho garantido muitas vezes: nada me move contra os professores, bem pelo contrário, admiro e devo muito a muitos e bons mestres e dói-me quando vejo que, por razões adversas ou culpas próprias, o seu estatuto é degradado.
Desejo-te um Bom e Santo Domingo, nesse teu milenar repouso mitológico.  Como garantia, só te posso dar a frontalidade e de nunca deixar de dizer o que penso, por medo, por parcialidade, ou por receio de desagradar seja a quem for. Esforço-me por ser justo e lutar pela Verdade das "coisas", sejam elas de que natureza forem. Aos que não me quiserem aturar assim, só tenho que pedir desculpa, mas eu sou assim e só mudo de opinião quando factos novos e novas provas, me façam reflectir e alterar a visão  e convencimento sobre os temas em discussão.

sábado, 14 de dezembro de 2013

O BARCO ESTÁ DE SAÍDA?

 O horizonte próximo era o 2º Resgate, o pior dos males reservados a Portugal, com todas as dolorosas implicações, que, percorrendo de novo a austera trilha, seria uma previsibilidade cruel para os portugueses, já tão prensados por uma Crise, de raízes antigas e profundas, que nos bateu forte.
 Foi este o cenário urdido, agitado e garantido, como fantasma draconiano, pelas oposições, tendo por porta-estandarte o principal candidato ao Poder.
 Vieram outros sinais, soprados com ventos de alguma esperança. A Economia foi saindo do coma profundo, em parte induzido, em que a haviam prostrado e deu sinal de vida.
 Tudo se altera! Nas previsões dos "olheiros" internacionais, do Governo e, provavelmente, com não pouca acidez, nas mentes dos timoneiros da Oposição, que vinham, de há muito, disparando fortes e demolidores remates no elenco governativo, quer pelas chuteiras dos seus actuais pontas de lança, quer por botas gastas das velhas glórias que, há muito, as deviam ter arrumadas!
  As bolas começam a bater na trave, nos postes, sinal de alerta para o PS, que tem receio de que a assistência, cansada de tanta e insistente azelhice, comece a assobiar e despeça o treinador!...
 O discurso muda. Já não é o novo resgate que arde na fogueira do Bota Abaixo. Tem que se encontrar um novo Diabo que lhes salve a retórica gasta, que, tanto investimento em propaganda do contra, não pode esfumar-se como palha seca.
 E, ei-lo! De forquilha em riste, tem, desde a pia baptismal o nome de "Programa Cautelar" , o escolhido pelos padrinhos europeus.
  Rejeitado pelos irlandeses, que preferiram uma cura sem aditivos protectores ou um salto no trapézio sem rede, é, agora, no panorama luso, a fornalha das raivas oposicionistas, a quem o malvado "2º Resgate" terá deixado de mãos vazias e lábia gretada!
 E, zumba, tumba, catrapumba, há que malhar na "cautelar", tanto mais que só teria um ano de vigência e até já não permitia a Seguro provar-lhe a calda...
  Os socialistas que, mesmo quando a tal convocados pelo PR, rejeitaram os acordos por ele propostos para um entendimento a longo prazo com os partidos na governação, enjeitando, mesmo, benesses para um precoce e hipotético regresso ao pote, vinham dizendo que não, que nunca entrariam na Barca, com este Governo ao leme.
  Depois, ainda não há muito tempo, proclamavam, em tom solene, mas estridente, de que os entendimentos e acordos com o Governo se fariam apenas , e só, no quadro do Parlamento.
  Agora, Sésamo, a porta abriu-se! Seguro já pede encontros "tête-à-tête" com o PM, já  dialoga pelo telefone, que não é encarnado, em plena Assembleia!
  Há que aplaudir. Que, sim, é na Assembleia da República, que o rumo do país tem que ser discutido e acordado, que aquela Casa, por nós, bem ou mal,  eleita, não serve, apenas, como arena romana, onde os contendores se digladiam com acusações e insultos perante galerias de claques espontâneas e contratadas, que aplaudem ou apupam, segundo as instruções do Ponto!
 Mas, que ninguém se iluda, tal como não me iludo eu: esta inesperada e pretensa abertura dialogante ou cooperante por parte do Partido Socialista, não acontece por acaso.
  Seguro leu os sinais, os do I.N.E. e os das organizações internaci
onais. Sabe que o 2º Resgate já se não vislumbra no horizonte próximo. Terá mesmo dúvidas, quanto à necessidade do "cautelar", passem os maus sinais que, também eles,  têm enviado aos Mercados.
  O líder do PS já vê, nos seus pesadelos das noites frias, o Governo a recolher as âncoras para que o Barco se faça ao Mar. Não quer ficar em terra, sozinho, na amurada, que o Barco pode estar de saída! E quer lucrar com o resto da Viagem, se esta chegar a bom Porto....
 Que, os portugueses, votam em 2015!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

OS ECOS DA ENTREVISTA!



















 Não me vou pronunciar a propósito da entrevista do PM,  que palavras são palavras, ou "palavras leva-as o vento", diz o Povo, e algum sentido fará.
Nem ouso avaliar.
Mas, não precisaria. Bastava esperar pelas reações dos porta-vozes do piquete de serviço nos partidos da oposição, e dos alinhados comentadores televisivos que logo se perfilam, para aquilatar da postura do entrevistado. Sobretudo, no de serviço ao maior partido da Oposição. E este, deu voz a uma figura de topo, o seu Chefe do Grupo Parlamentar, o ex-Ministro da Justiça de Sócrates, José Alberto Martins (este mesmo:  http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/ministro-de-socrates-com-cartao-dourado
 ), que, visivelmente nervoso, de semblante irritado, tentou contrariar as teses do entrevistado. Fiquei a saber que o PM se havia saído bem.....seja lá o que isso for!
A ENTREVISTA

NEVOEIRO DO VOUGA


 Fotos: https://www.facebook.com/groups/spsul.amigos/652565498128929/?notif_t=group_activity

 Um olhar através do denso nevoeiro do Vouga. Ali, na Termas de S. Pedro do Sul, onde, no Outono,  o ar esfria, mas a água aquece!
  E não é paradoxo. É a vitalidade duma região bela, onde a Natureza fez dos seus caprichos, no calor das águas que ali brotam e das Gentes daquele chão de Lafões!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

HUMOR TALIBAN

    Não os vi no Vouga, pelo Tejo não devem ter passado, será que houve algum desembarque de talibans no Alqueva?
   
           VER AQUI!

sábado, 7 de dezembro de 2013

OBRIGADO, MADIBA!

 Nelson Mandela, repousa em Paz. Na mesma Paz que soubeste cultivar no País que foi teu chão terreno e donde, agora,  vais partir. Fica, entre nós, o teu exemplo de concórdia e harmonia entre os homens, a quem deixaste a mensagem e pesado encargo de ouvirem, para lá dos tempos, todos os teus apelos de homem bom, que soube perdoar e conceder valor  aos melhores sentimentos da vida humana!
  Obrigado, MADIBA!

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

R.I.P, SÁ CARNEIRO!



 Triste, a efeméride! Completam-se, hoje, 33 anos do trágico fim de SÁ CARNEIRO. De nada nos vale ficarmos agarrados ao passado, à espera dum D. Sebastião. Isso é insofismável. Ainda assim, a crer no percurso dum Homem, que eu já admirava antes da Revolução, muito dele haveria a esperar, pela frontalidade e pelo seu apego a uma democracia plena, sem amarras a dogmas e, sobretudo, genuinamente portuguesa, sem algemas a ideologias importadas e dependentes de qualquer esgoto político da Europa ou do terceiro Mundo!
R.I.P., Sá Carneiro!

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

OS ESTALEIROS DE VIANA...

... são o tema do momento.
Pelas piores, pelas melhores, pelas razões assim-assim, vá-se lá saber!
Daqui a um ou dois anos, poderemos avaliar se as centenas de trabalhadores que lhes estavam afectos, ganharam ou perderam. Se o todo nacional, que somos nós, pagadores de impostos, beneficiámos, ou não, com o corte umbilical do Estado àquela empresa pública, deficitária, como, registe-se, quase todas as outras.
 Mas, seja qual for o futuro daqueles estaleiros, concessionados a uma empresa privada, já com provas dadas neste sector e que vem dando cartas pelo Mundo, na área da metalomecânica, ei-los, os partidos, engalfinhados, num vira minhoto, que mais não serve que deixar a nu as fraldas sujas. de uns e de outros...
  Uns acusam, outros lavam mãos, outros, ainda, fingem-se, tão só, preocupados com o destino das centenas de trabalhadores, que, com tanto desnorte informativo e, legitimamente, preocupados com o devir, se manifestam contra a privatização.
  A todos, àqueles e aqueloutros, e a estes últimos, também,  não faltarão razões para consternação preocupada pelo fim da que já foi, em tempos idos, uma das jóias do Estado. A culpa maior, até nem estará em quem governou ou quem governa, é ao aperto global, ao definhamento da Economia europeia que aquela deve ser assacada.
  Que, por fim,  as figuras gradas e que tiveram mãos no sector, e que vêm desfilando nas "passereles" mediáticas, de hora a hora, sem que Deus melhore,  tecer acusações e carpir mágoas pelo fim dos estaleiros, pelo menos nos moldes em que laboravam e se destacavam pelo sorvedouro de dinheiro de todos nós,  não cavalguem a onda, que é de Viana que se fala e não da Nazaré e era nesta onda de 2010, que surfavam. Nesta,   AQUI.

domingo, 1 de dezembro de 2013

RESTAURAR PORTUGAL



Com ou sem feriado, este dia, "1º de Dezembro", é comemorado por todos os que, neste Mundo Global, ainda reconhecem os valores pátrios, não abdicam e sentem orgulho da sua nacionalidade.
  Foi, há séculos, a Restauração da nossa Independência, é, nestes anos conturbados e de dificuldades, cíclicas na nossa História milenar, o anseio de que esta Nação se restaure por dentro, nas mentalidades e no querer das suas Gentes e, sobretudo, nas mentes dos que propõem servir o Estado que a suporta.
  Para que continuemos a ter orgulho no legado dos que, no Passado, foram arquitectos e e obreiros deste País que todos amamos à nossa maneira, o nosso Portugal.
 Que seja restaurado e viva, para lá das Crises!

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

DIREITO AO TRABALHO


A notícia: INCIDENTES NA GREVE DOS CTT
 O direito à greve é inquestionável. Dentro dos limites legais, é do foro da liberdade de cada um, aderir ou não aderir a essa forma de luta. Como o é de trabalhar, quem o quiser fazer. São duas opções, cada uma delas a merecer o mesmo respeito da outra.
  Surpreende-me, ou nem tanto, que altos responsáveis sindicais e Deputados da Nação ali presentes, em representação de forças políticas que passam o tempo com a boca- e os slogans -,  na defesa da Constituição da República, entendam por bem que os seus apaniguados grevistas, coarctem a liberdade e o direito ao trabalho dos que não pactuem com estas formas de luta.
  Assiste-se a um "esticar da corda" perigoso, a que estes responsáveis deviam estar mais atentos, se por mais não for, pela coerência das suas próprias posições políticas.
  A não ser assim, vou retirar DAQUI a faceta humorística com que abordei o tema, para o registar como realidade séria e assumida.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

CORTES NAS PENSÕES...

--- travestidos de convergências?! É o que ISTO é na realidade...
Mesmo imaginando que, pela Divina Graça, Portugal não estivesse a braços com uma Crise profunda, o problema subsistiria, pela forma desonesta como os cortes nas pensões são executados. Dê a explicação que entender ao Tribunal Constitucional, por mim, na primeira pessoa que é mais fácil discorrer sobre o tema, e não venho a terreiro porque "me tocaram", continuo a considerar essa "falsa convergência", como um corte imoral e inconstitucional. Quando me decidi a ser serventuário do Estado e me submeti aos descontos que me foram propostos, para ter direito a uma pensão de X, não aventaram sequer a hipótese dela acabar em Y. Se o houvessem feito, curial seria, para um Estado sério, permitirem-me gerir esses descontos da forma que me aprouvesse. Não o fizeram, não me deram alternativa. Como poderei, como poderão todos os que os sofrem, considerar justos e constitucionais os cortes que o Estado "arrecadador" desses nossos descontos, se prepara para fazer?
Mais valia que o Governo, a braços com esta Crise prolongada, impotente para contrariar os desígnios e directivas dos Credores internacionais, não vislumbrando outra alternativa, descesse do seu pedestal Beneditino e, com a humildade de quem foi eleito para servir, nos pedisse o valor desses cortes como contributo extraordinário para tirar do Abismo em que os sucessivos executivos o precipitaram. Nunca, por imposição travestida de magnânima convergência e por tempo indeterminado. Que num contrato, como em qualquer negócio, as partes devem fidelidade à palavra dada e aos compromissos assumidos.
Assim, NÃO!


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

O GENERAL ARMÉNIO!

   Saibamos reconhecer-lhe os dotes bélicos, de táctica e estratégia.
Se há algo de que o não podemos acusar, é do fracasso do seu Plano Operacional . O de ontem, que foi um êxito, mais do que engendrado num andar de uma avenida qualquer, parece ter sido delineado numa Sala de Operações, com ataques, em simultâneo, a várias bases "inimigas" e em que, pasme-se, num País de escutas, bufice e "passa-palavra", foi preservado o efeito surpresa, indispensável numa missão desta envergadura.
  Planeamento digno de um General e de fazer parte da "cartilha" de guerrilha e contra-guerrilha, para um próximo curso das Academias!
 Os comentadores, especialistas nestas bojardas de guerra,  dividem-se. Enquanto uns dizem ter sido o Che-Che a dar o sinal de ataque, com o lançamento dum magno very-light, outros defendem que o General Arménio, que já havia prometido não invadir a Base Principal, quis provar que se as milícias civis podem invadir qualquer coisa, as suas forças se sentem no direito de atacar o "inimigo" onde lhes aprouver.

  Entretanto, com tanto deflagrar de granadas e morteiros, por entre canhões, com e sem recuo, um feroz e implacável exército de Mercados, vai-se barricando, na expectativa do desenrolar de todas estas ofensivas, as que decorrem e as que já estão a ser remuniciadas.
  No fim, vai sair das barricadas, passar à ofensiva, lançar os misseis,  e não há General Arménio, nem forças, nem meios, nem munições, para lhes fazer frente!
 E, todos derrotados, na penúria e a lamberem feridas, continuarão a marchar e a conspirar,  de punho e cabeça erguida, ao som da Banda Marcial da Carris, ou de outra qualquer, que toca a Marcha secular "Perdemos uma Batalha, mas não perdemos a Guerra...". A Luta Continua...... (A Crise e, ainda mais,  miséria, também!...)




segunda-feira, 25 de novembro de 2013

PELAS TERMAS!

















Goste-se, ou não, as Termas de S. Pedro do Sul são, na vertente turística,  o mais apelativo Postal de Lafões.
  Não vou, mais uma vez, invocar das belezas naturais daquele aprazível  rincão, tantas vezes foram cantadas por estas margens do Vouguinha.
  Dizem os beirões e diz muita outra Gente, que não há Bela sem Senão. E é esse bem dispensável Senão que me leva a questionar, a propósito do estado vergonhoso, que não há que ter medo dos adjectivos, em que se encontra, desde há anos, o centenário Balneário Romano, que, para lá duma manifesta falta de respeito pelo Património, é um atentado à nossa memória Histórica.
 Um desprezo que avilta e deprime. Habitantes e os milhares que visitam aquelas Termas e que - casa-te, culpa! - é da responsabilidade última, ao que vem sendo apurado, a uma instituição pública que dá pelo sugestivo e pomposo nome de IGESPAR - Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, a quem, é cometida a  missão de:   gestão,  salvaguarda,  conservação e a valorização dos bens que, pelo seu interesse histórico, artístico, paisagístico, científico, social e técnico, integrem o património cultural arquitectónico e arqueológico classificado do País. 

Sem pretender entrar pelos campos da Política, muito menos da politiqueira partidária, não encontro outra forma de questionar, se, ao invés de se esbanjarem os (poucos) dinheiros públicos destinados à Cultura, em subsídios a filmes "avacalhados", e a fundações da treta, não seria de bom senso olhar por este e outros pedaços da nossa História, que se degradam em morte lenta pelos recantos deste País, que não terá Futuro, sem Memória!



OBRIGADO, RAMALHO EANES!

 Gratidão, não só pelo seu desempenho no 25 de Novembro de há 38 anos, mas, sobretudo, pela sua postura cívica- e de sua esposa -,  ao longo destas décadas, num País em que os exemplos escasseiam, o apego à Pátria e aos valores se desvanecem, nas garras da vaidade, da ambição e do apego materialista.
  O Vouguinha não tem merecimento para lhe prestar, em palavras, a homenagem que lhe é inteiramente devida, mas socorre-se e apoia-se, na eloquente síntese do Professor Sampaio da Nóvoa:



    " No seu exemplo, encontramos a força para continuar uma liberdade que não se esgota na palavra, uma liberdade inteira e limpa, uma liberdade livre, justa e solidária."


 
Não importa adiantar mais do que aquilo que ficou por aqui nas águas do Vouguinha e volta a emergir com o mesmo fulgor,

                                               AQUI





   


sábado, 23 de novembro de 2013

ESCADARIA PERIGOSA

 Já choveu, assentou a poeira e, como já pressentia,a invasão das escadarias de S. Bento, que, à luz da Lei, é ilegal, iria ter consequências. Há, antes de mais, a referir que os acontecimentos daquele dia , mesmo no seio dos manifestantes, não foram pacíficos. Foi um caldo de mentalidades e de visões diferentes dos limites legais, que, frente à AR, não foi consensual entre os responsáveis pelas diversas Forças, como aliás foi notório, para quem esteve atento às reportagens em directo. Foi o preço a pagar, pelos organizadores, por uma iniciativa tão abrangente.
 Penso,  ser errado pensar que a demissão do Director Nacional da P.S.P. se deve à atitude dos seus homens, enquanto manifestantes. Nada disso, que, segundo a CS, até foram elementos de outras forças, e tão diversas eram, as que mais impulsionaram a "invasão". Ao M.A.I. terá desagradado mais a propalada ineficácia dos polícias que tinham por missão evitar a subida da escadaria.
 Entretanto, vou adiantando que os "fariseus" do Parlamento e os amantes do "bota abaixo" que, eventualmente, esfregaram as mãos de contentamento, quando viram os policiais subirem as escadarias, muito provavelmente, desejando mesmo que aqueles lhes entrassem portas adentro, e que se vão deliciando com os ecos desta Manif, devem tirar o "cavalinho da chuva". Não será, só,  contra este Governo, nem contra este PR, que aqueles homens e mulheres, deram voz à sua revolta. O seu desencanto está a montante, foi acompanhando os passos desta "Democracia", desde há muitos anos, e que só tem sido contido por alguma formação cívica que lhes é incutida, por força do seu mister profissional e respeito pelas instituições da Nação. Ou será, que, por exemplo, os socialistas, já esqueceram o dia 22 de Setembro de 2005, em que uma Manif em tudo semelhante e integrada por quase todas as forças que,ontem, se manifestaram, em número aproximado, foram da Praça do Comércio até Belém, onde gritaram a plenos pulmões: Abaixo o Governo", "Abaixo o PR" e "Viva Cavaco", quando ainda era Presidente da República o socialista Jorge Sampaio?! Que meditem.....e não tentem montar o cavalo do descontentamento desta Gente.....que o animal quando couceia, não olha para quem lhe está atrás das patas!
 No rescaldo, resta louvar: o exercício dum direito constitucional, como é o da manifestação; o congregar de todas as forças de segurança, de vários Ministérios, o comportamento, apesar de tudo, pacífico. Condenar: a subida gratuita e ilegal das escadarias.  Acto simbólico, mas perigoso e pouco abonatório, sobretudo, dos profissionais a quem, num previsível futuro breve, será cometida a missão de conter outros manifestantes no exercício do mesmo direito.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

À PAULADA!

  Aquela gente que se auto intitula, "das Esquerdas" e que, ontem, se reuniu em Congresso organizado por essa figura que já foi de tudo nestes anos de "Democracia" e, nos últimos tempos, para lá da Fundação que vai gerindo, se porta como um incontinente palrador político, sugeriu-me uma Brigada de Reumático, amparada por estacas maçónicas e  raízes adventícias dos partidos do "bota abaixo", tem o paradigma nas declarações de Vasco Lourenço, que, quase quarenta anos depois do 25 de Abril, ainda entende que a democracia e a vontade do Povo se verga e aquela se consolida pela força do pau de marmeleiro, ainda que, em acto de contrição, ou de incoerência,  haja acrescentado não querer a violência.....
 Afinal, uma linguagem bem ao estilo dos caceteiros que defendem que os problemas do País se resolvem à paulada nos que, bem ou mal, foram eleitos pela Democracia, a tal de que, grande parte dos congressistas, se arrogam serem os pais.
  Se esta Nação tem andado mal com quem nos vai governando, com gente desta, nem bem nem mal. Não vai a lado nenhum!...

 Para um Governo de pouco siso, nada pior que uma Oposição sem juízo!
 Por mim, o quanto me surpreende que um homem com tanta vida politica, de vários cambiantes, se auto flagele, para poder "surfar" a onda de descontentamento que grassa no País, pela situação que vivemos,  e de que, também ele, foi artífice e protagonista de vulto!

 Vergonha, precisa-se......e de "Reumon Gel".....para o Reumático!


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

PORTUGAL, SEMPRE!



  Foi vitória sofrida, lutada, em corridas de suor e pundonor,
  um querer de forças, e com a coragem que a Alma sente,
  que não se vai abaixo das canetas e, mais uma vez com valor,
  mostrou ao Mundo, e ao Blatter, o quanto vale a Lusa Gente!


 Parabéns, Selecção! Viva Portugal!


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

GREVES AO METRO...


.. E AO CENTÍMETRO!

 Dentro do pacote dos inestimáveis contributos que as centrais sindicais e os seus mentores partidários ao esforço para que Portugal se liberte dos condicionalismos e da austeridade que nos comprime a todos, mais greves estão na forja.
 Por mero exemplo, o pessoal que ainda trabalha por Lisboa, pode dormir mais um pouco. O Metro só abre às 10H00. Até lá, os trabalhadores daquela empresa pública deficitária, onde os salários são, em média, acima dos demais serventuários do Estado, vão permanecer em greve....por mais uns centímetros de qualquer coisa (salários, subsídios......seja o que for, e, se não for, ....inventa-se).
Não deve fazer grande mossa ao Estado, que todos nós sabemos como as vias de entrada em Lisboa, pelas 10H00,  costumam estar congestionadas por carros de pessoal que "vai" entrar de serviço às 09H00....

HOMENAGEM A RAMALHO EANES



São raros, mas ainda vão havendo casos de figuras públicas que se destacam pela honradez e que olham o País como a sua Nação e dos seus compatriotas, ao invés de o encararem  como um Cofre de forma rectangular, à beira mar embutido,  onde se podem "sacar umas massas"......
Que condenemos os vilões e enalteçamos o comportamento de homens como Eanes!
E que desprezemos os hipócritas que tentam desvalorizar a iniciativa, com o facto de não concordarem com a data escolhida para ajusta homenagem.
 Aplaudo, mesmo, a escolha do dia 25 de Novembro, que foi quando Eanes, para agrado duma vasta maioria e desagrado duma minoria, teve o arrojo de acabar com a bagunça terceiro-mundista em que este País estava a ser transformado.
 Mas, o mérito exemplar do seu comportamento, enquanto ex-Presidente da República e cidadão, vem muito para aquém daquele dia de 1975. Que, neste País de demagogos, aldrabões, vigaristas  e oportunistas, poucos foram os que, como ele, recusaram benesses (merecidas), promoções e........milhões!
 O Vouguinha associa-se a este justo reconhecimento!
HOMENAGEM


domingo, 17 de novembro de 2013

OS TECELÕES DA FERA



 
Anda para aí, nas televisões, provavelmente por encomenda das tais "agências de comunicação",  que, na minha modesta opinião, considero de centrais de publicidade enganosa, a ser urdido um tapete...que não é de Arraiolos. Tantos tecelões, aprendizes, protectores, amigos..... do animal feroz, a tecerem entrevistas e a tingirem a malha de branco, com recurso a lixívia branqueadora, que só podem estar a urdir uma passadeira para aquele assombração política reentrar pela porta grande!

Malditos tecelões, com tanta vergonha como a da fera que lhes forneceu o tear!

sábado, 16 de novembro de 2013

FUMEIRO DE LAFÕES

 Eu sei que é "jogar em casa", fazer testemunho do que de bom ainda se vai encontrando pelas terras que também foram, e nunca deixam de ser,  as nossas.
 Aborda-se o mau e o bom, que o testemunho tem as duas valências.
 Desta feita, acicatado por uma foto que me chegou, via mão de amigo, duma mostra recente de chouriças caseiras, lá da Região de Lafões, dou conta do fumeiro tradicional que, conhecedor presencial das realidades de Norte a Sul do País,  nesta área, pede meças a qualquer outra.
 Tradição caseira, os métodos de confecção foram-se mantendo ao longo dos tempos, e, não há muito tempo, passe a publicidade, para lá de outros locais e estabelecimentos,  almoçar no "Meu Menino" em Vouzela, sem as saborear no cozido, ou comprá-las no talho do Orlando Santos, em S. Pedro do Sul, de fabrico próprio, era desprezar um dos muitos e bons  marcos da gastronomia de Lafões.
  Mas, mais do que o reconhecimento, ocorreu-me, num lampejo da memória, o dia em que a minha saudosa avó paterna, me apanhou em flagrante delito em busca dum dos seus enchidos de eleição, confeccionados a partir da carne dos recos nascidos e alimentados a rigor, nas imediações da residência.

De férias escolares, em casa dos meus avós, numa aldeia de Lafões, onde o fumeiro era confeccionado na casa de cada qual, mas pelos mesmos métodos tradicionais, sempre que o grupo da geração se juntava, em especial aos fins de semana, o nomeado por escala, tinha que fornecer o petisco para a "trainada". A princípio, ainda ousei pedir as "chouriças" à minha saudosa avó, de cujas mãos saiam autênticas iguarias caseiras. Depois, a despeito das suas recomendações para nunca as tirar da talha do azeite com as mãos, e porque, à enésima vez, temi pela recusa, "alambazei-me" e  comecei a servir-me por conta própria. Por mais uma ou duas vezes, sempre que estava nomeado de vagomestre dos convivas, até que um dia, fui seriamente advertido pela minha avó, que me levou ao local do crime e me colocou perante a evidente prova do delito: desde o fundo da Adega, até à porta, não havia como ocultar um largo rasto de azeite. 
A "escala" não foi alterada, mas vi-me obrigado a passar para outro patamar, na roda dos alimentos. Com o lamento de todos, que aquele "material" assado com "cachaça" de vinho era um autêntico hino à Gula!...
A tradição e os métodos de confecção, permanecem pela Região.....Ai ué, ai Deus e ué?!
   

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

PARAR! PARAR!



 ISTO, é o que se chama  programar com tempo e cumprir a "Agenda". Depois, os utentes que não venham,  em Dezembro, queixar-se de que não foram avisados com antecedência....
 Sendo o estandarte da luta, ao que dizem, o "Orçamento de Estado", sugiro uma palavra de ordem, a juntar às muitas que já devem estar a ser "engendradas" lá numa Central qualquer:


- Contra o Orçamento, Parar! Parar!...

STOP, que o País pode esperar!...

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

BANCO DE FOMENTO!

  Só posso aplaudir ISTO. E, quase o faço por antecipação. Porquê?! Porque já vi e ouvi os tubarões dos outros Bancos a insurgirem-se contra os juros previstos para financiamentos às Médias Empresas e PME's. Só esse "pormenor" já é de peso, tanto tem implícito......
O que espero é que não veja a minha expectativa (não como cliente, mas enquanto contribuinte), defraudada, se, ao invés de gente competente e de passado impoluto, começarem a desfilar pela gestão do Banco boys do actual aparelho do poder, tipo "Varas", do outro, e outras espécimes semelhantes....
Venha o Banco! E o Fomento!...

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

RIBEIRA VAI CHEIA...

... E O BARCO NÃO ANDA!

   Não sei se lhes chame exigências ou chantagens. Seja lá o que for, as reivindicações com que os trabalhadores do sector dos Transportes Públicos (Metro, Carris, CP, Refer e afins...), justificam esta avassaladora sucessão de greves e paragens a gosto, por parte de quem, é voz corrente, já usufrui de salários e  privilégios acima da média, no espectro das empresas públicas e privadas, a que acresce o período pouco propício a concessões que impliquem maior dispêndio de verbas, sobretudo por parte de empresas deficitárias, que nos esbulham grossa fatia dos impostos que pagamos, ao que parece AQUI, vão dar prémio chorudo.....
 Ao que nos foi dado ver e ouvir, se não passarem de promessas, é que estas lutas, que exasperam a paciência de outros trabalhadores que se vêem privados de serviços que pagaram, colhem dividendos, mesmo em tempos de cortes em salários e pensões de quem trabalha ou o fez durante uma vida activa!
 Dividendos que, prevejo, desengane-se, senhor Ministro, não demoverão os Sindicatos de mais lutas e greves.
 Que não é isto o que os "mandantes" pretendem com as ditas! Há mais....numa outra Agenda!

A AURÉOLA DE "SETORES"





Sempre disse que as notícias de jornais, e não só, por mais bem intencionados que sejam aqueles órgãos de Comunicação Social, terão, forçosamente,  que passar por um filtro do leitor. Sobretudo, as que não vêm suportadas por documentos ou outras provas concludentes. Mas, mesmo no campo da mera hipótese, a notícia de que alguns Professores se recusam a corrigir as provas dos seus colegas contratados, uma medida imposta pelo Ministério da Educação, dá que pensar e preocupar.
Vamos deixar de lado a justiça ou injustiça, daquela imposição da Tutela. Não é o objecto desta apreciação. O que importa, agora, é cuidar da atitude desses professores, provavelmente, acicatados pelos respectivos Sindicatos.
 Em qualquer empresa privada, a simples recusa dum trabalhador a efectuar um trabalho que esteja no âmbito da sua função e no seu horário normal de trabalho, daria aso a processo e, mais que previsível, despedimento.
 Que auréola encima as cabecinhas letradas dos "Setores" desta recusa, para se sentirem imunes às sanções de outro qualquer profissional, com este e similares posicionamentos face aos órgãos representantes da sua entidade patronal?
 Já sei: acabam todos por cumprir aquela directiva. Mas, se o vão fazer, que ganharão com este induzido folclore mediático, pouco abonatório da sua imagem e fraco exemplo no seu universos escolar?!

 Que não exagerem na exibição da auréola, mesmo que ela seja de nozes....... 

terça-feira, 12 de novembro de 2013

EXPORTAÇÕES 2013

 Segundo as notícias recentes, o I.N.E. dá conta que as exportações portuguesas cresceram 9,8% em Setembro face a igual mês de 2012, tendo crescido 5,8% neste último trimestre e 4%, desde o início do ano. 
  Foguetes? Só se forem de lágrimas, as das nossas dores, que, como já disse por aqui, não passa de um pirilampo a brilhar.... enquanto os nossos sacrifícios já são holofotes de descontentamento.
 Ainda assim, a exemplo da recente ligeira descida de desemprego, em que todos os arautos ou profetas da desgraça vieram justificar com o surto de emigração, fico preocupado se vierem bater na bigorna com o mesmo malho e fazerem-nos crer que, com o devido respeito por todos os que se vêem na contingência de sair do País,as exportações subiram com os valores que aqueles levaram na bagagem!
 Eu sei que o assunto é sério, mas que fazer, há gente que teima em fazer-nos rir!...
 Haja equilíbrio e boa fé.....e remar nos dois lados do barco!...

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

O RABECÃO DE MACHETE

 Quem o mandou a ele,  Machete, tocar rabecão?!
 Já me parece a Manuela Ferreira Leite, nas suas "cavadelas e minhocas" de outros tempos....e, não sei, se nestes......
 E, porque os meus óculos são diferentes dos que se estão "marimbando" para os Mercados, esses malditos, ESTA "chinesice" do senhor Ministro, não deixa de ter eco nessas tascas mundiais onde se negoceia o capital. 
 Para já não falar das acendalhas que lança na fogueira onde a Oposição quer queimar o Governo de que faz parte!

 Tenham tino e recato, em nome e respeito pelos sacrifícios que somos obrigados a fazer, nessa tentativa, aos tropeções, para resgatar este País! E não sejam gralhas tontas a cantarem do que não conhecem e engrossarem o Grémio dos que tudo fazem e dos que fazendo nada, parecem regozijar-se quando os Juros sobem e e a Esperança desce!
  


TENDINITE AZUL?

  A Câmara Municipal de Lisboa, entre muitas outras iniciativas, decidiu, após votação, atribuir uma verba para mandar erigir na cidade de Lisboa, uma estátua ao fundador do Sport Lisboa e Benfica, Cosme Damião, e cujo custo previsto orça os 50.000 euros.
  Não sendo uma importância exorbitante, é dinheiro  oriundo dos munícipes de Lisboa.
   Tal como eles, também eu e milhões de outros  portugueses se preocupam com o destino dos dinheiros públicos, numa época de profundos sacrifícios para todos, em nome do resgate do País, com o destino nas mãos dos credores internacionais.
  Fosse, não obstante terem sido os autarcas seus representantes no Município de Lisboa a darem o necessário aval à obra, um anónimo cidadão da capital, a criticar e a rebelar-se contra a utilização daquela verba, ainda compreenderia. Vir uma agremiação desportiva da Invicta fazê-lo em forma de comunicado oficial, só porque se trata do fundador dum Clube desportivo rival, é que me aprece um acto de hipocrisia gratuita, que não esperaria,  por estar convencido de que só os políticos usam dessa artimanha nas suas lutas partidárias e de captação de almas e votos!
  Podendo os munícipes do Porto estar descansados quanto à quota parte que lhes caberá neste dispêndio com que vão, directa ou indirectamente, arcar os seus compatriotas da Capital, ESTE COMUNICADO, num ciclo em que tanto se falada de pressões e ingerências nisto, neste, naquilo e naqueloutro, só pode ser entendido como provável inveja mesquinha ou acendalha gratuita para quem pretende alimentar a fogueira divisionista Norte/Sul!
 Que seja a primeira hipótese, apenas uma tendinite, a nível do cotovelo, que é a explicação mais suave, para comunicado gratuito e tão sem jeito!...

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

NOVA INQUISIÇÃO...


.....com outro rosto e novas cores?
Margarida Rebelo Pinto, que eu saiba, nunca foi PR, Chefe de Governo, Ministra ou exerceu outro cargo de responsabilidade política neste País.
  Nem sei, tão pouco se a sua condição de escritora conhecida é merecedora do mediatismo que a Campanha que grassa nas redes sociais e noutras montras informativas.


  
Até posso não concordar com muito do que a Margarida Rebelo Pinto pensa, ou disse. Mas, daí até partir para o insulto rafeiro, que se vai vendo pela net, e noutros suportes, dá-me uma imagem real do espírito democrático que grassa na mente de muito pessoal. Não gostar e deixar vincada essa discordância, mesmo com vigor e, até, agressividade retórica, é um plano. Passar para o insulto pessoal e ataque ao carácter da mulher, só porque usou da liberdade que lhe assiste e do direito de opinião, é uma mostra bem elucidativa de que alguns sectores só proclamam a Tolerância e o Respeito, quando defendem as suas teses ideológicas!
  Não lhe queimem os livros nem recorram à mordaça, que esse tempo já não é o nosso!
   Deixem voar o Pensamento.....de todos!

MOLHOS DE GREVES E ALECRIM!

  As greves "aos molhos", como o alecrim, na opinião da maioria dos comentadores, destinam-se a fragilizar o Governo. O que eu temo é que enquanto o Governo assobia para o lado, mais empenhado em descalçar a bota que calçou em 2011, seja o País quem vá saindo fragilizado, para lá do prejuízo e desconforto dos utentes, sobretudo no sector dos transportes.
  Por mais que me tentem modelar a perspectiva, continuo a defender que as Greves são uma arma legal, nas mãos de quem trabalha, enquanto forma de exigir e preservar direitos  exequíveis, porém, no Ciclo que vivemos no País e ouvindo as razões invocadas pelos dirigentes sindicais, só posso inferir que estas não passam de formas de luta político-partidárias, que não alcançarão, nem a melhoria de condições de trabalho e de vida de quem faz greve, mas apenas eleva o ego dos mandantes e satisfaz a agenda de estratégia política dos partidos que as promovem! Para lá de, ao invés de fragilizarem o Governo, como já disse acima, debilitarem, isso, sim, a nossa Economia...
 Prefiro os molhos de alecrim.....

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

BANDARRA

  O escritor António Ferreira Caetano, recentemente falecido (R.I.P), apresentou, há três anos, o seu livro "BANDARRA, UMA FALA PROIBIDA", um romance histórico que nos transporta para Trancoso do século  XVI.
  Ao admirar a capa do livro, com a figura daquele popular poeta, lembrei-me dum comentário, numa das redes sociais, em que um provável "psicólogo" ou "sociólogo", perante uma foto postada por mão amiga, discorreu que um deles, o que tinha um dos pés mais elevado, em cima de uma pedra, tinha feito a "guerra colonial". Para lá de absolutamente fora do contexto, que nem era o tema do post, mesmo intuindo onde o brilhante analista pretendia chegar, teve tanto azar no palpite que o fotografado de perna elevada nem sequer havia ido a qualquer guerra!
Temo que ele veja esta do Bandarra e deduza que o poeta de Trancoso haja sido um guerreiro das selvas africanas!...
Mas, este, foi uma nota pitoresca à menção feliz que a Biblioteca Municipal daquela simpática e histórica cidade beirã, com as suas muralhas e tradições antigas, fez ao autor daquela obra! AQUI

O que vai receber de Subsídio, em Novembro de 2013

Com interesse para funcionários públicos e pensionistas da C.G.A.

VER AQUI


terça-feira, 5 de novembro de 2013

Comentadores acorrentados....

......capturados por uma facção, obrigado, não gosto!
  Há poucos, mas gosto de ouvi-los. Os que batem, com argumentação válida, nas medidas de austeridade excessiva, no esbulho que este Governo faz aos proventos de quem trabalha e, ao mesmo tempo, condenam os que, pela sua postura, criticam sem apresentarem alternativas válidas. Os que denunciam falta de sensibilidade do Poder em lidar com a Oposição e, simultaneamente, reprovam a falta de disponibilidade desta última para o consenso.
  E muitos mais......
 Enfim, os comentadores profissionais que, mesmo envergando uma camisola, têm o brio profissional de a despir nas análises de factos e realidades.
   Há muitos anos, por terras do Vouguinha, os lavradores "amanhavam" as  suas courelas com recurso a uma junto (par) de vacas. Eram elas quem puxava o arado que preparava a terra para as sementeiras, que os tractores eram raros e pouco utilizados no minifúndio do Norte e Centro.
   Era a Mourisca, era a Castanha, era a Malhada ou a Amarela, que mais se ouviam, quando as aguilhadas silvavam no ar, num acto punitivo (pouco humano, reconheço, Hoje), contra os momentos de maior preguiça dos animais. Não havia privilégios, quer de uma quer de outra. O castigo era repartido, com equidade, pelo par da canga. Sem piedade!
    Mas, os comentadores, nunca conheceram, nem a Mourisca, nem a Castanha. Nem revolver a terra foi ofício seu!
    Mas, a maioria, não o sendo, também não são comentadores isentos, libertos das correntes das facções, escolhem a vítima do aguilhão, esquecem-se e poupam a sua preferida.
    Por mim, vou continuar a admirar os que, grosso modo, tanto espetam o aguilhão na vaca da direita, como na vaca da esquerda, consoante o comportamento de cada uma delas...
   E que não dêem coices....nem peido!....

domingo, 3 de novembro de 2013

O FRANCISCO E A FÉ

     Que, valha-nos Deus, nos vá restando a Fé e a Esperança!
    Que neste Mundo mergulhado em escuridão, surja uma centelha de Luz, que nos faça olhar para dentro de nós próprios e lembrarmo-nos da nossa condição de seres humanos, criados para vivermos em Sociedade fraterna.
   Francisco é o simbolo na Terra dum Amor que está mais Além!...
   Que seja um exemplo vivo para outros apóstolos de Cristo que andam por aí, perdidos da Fé, vendidos ao vil metal e sequestrados pela ostentação e fruição abusiva dos vícios bem terrenos!



sábado, 2 de novembro de 2013

O BPN DOS DIABOS

    Lendo ISTO, ficamos com, mais uma, dolorosa dúvida: a nacionalização do BPN não passou de colocar demónios a tomarem conta da obra dum Diabo?!


O "PÃO POR DEUS"











 Desde Sexta-Feira que ouço, com alguma insistência falar em "Pão por Deus!
  Até, já lá vão alguns anos, um grupo de crianças me bater à porta, com o desafio de "doçuras ou travessuras", que suponho importação do Halloween , ou fusão dos dois costumes, nem tão pouco conhecia tais tradições por estas terras de Santa Maria.
  Pensando bem, só temos que ficar agradados com este dia do "Pão por Deus" e que ele se mantenha, por muito tempo.. Que,  pelo menos um dia no ano, nós, portugueses, não seremos obrigados a  comer o "pão que o Diabo amassou"!...

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

OS "ASSASSINOS" NO PARLAMENTO






 Cenas destas, ocorridas, hoje, no Parlamento, que já vão sendo recorrentes, fazem-me recuar até 1975, quando, no mesmo espaço, se discutia e forjava a actual Constituição. Manifestações nas galerias e outras de natureza similar (a que assisti, ao vivo e a duas cores), no interior do Palácio, para lá de pressões de outra natureza e origem, estiveram na génese da nossa Lei Fundamental, aquela mesmo que muitos consideram uma Vaca Sagrada, intocável, que não carece de alterações!

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

O VERÃO DO ARMÉNIO






ARMÉNIO, O das Greves, apoucou a descida dos níveis de desemprego do nosso País, atribuindo aos meses de Verão, tipo "milagre do sol",  a queda verificada nos últimos meses.
  Sei bem que todos desejaríamos que descesse mais, que houvesse trabalho para todos (os que querem trabalhar...).
  Segundo fonte fiável, ESTA AQUI a crer nas vezes que o próprio Arménio e seus mentores ideológicos se servem dos números do Eurostat, somos levados a crer que o Verão deste Ano da Graça de 2013, vai durando há 9 meses.
   Tempo suficiente para passar pela Maternidade e parir uns raios de luz, no hipotético calhau rolado deste e doutros permanentes mensageiros e promotores de mais desespero em cima do que já vivemos, para não ir longe nos raios que os partam......que, para acidentes e desgraças, já bastam os que se abateram sobre nós!