Iniciar

Para iniciar esta Página, faça um clic na foto.
Navegue....e mergulhe, está num rio de águas límpidas!

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

ATÉ BREVE!


domingo, 25 de agosto de 2013

OS CAMPÓNIOS ILETRADOS!

   Luciano Amaral, que se diz Professor Universitário e que é colunista do matutino "Correio da Manhã", no seu texto opinativo AQUI , considera Viseu um concelho de campónios iletrados.
   Desfiando a teia daquele escrito, sem que me sinta possuído por poderes ocultos que me permitam ler o que vai naquela cabecinha letrada, dou comigo a pensar que o homem até poderá ter-se servido dum estigma germinado nos campos da batalha política e a que a CS foi dando diapasão. Porque Viseu vota, preferencialmente, laranja e não uma outra fruta dum pomar, que,  nada tendo a haver com incêndios, está impregnado de fogo bacteriano.
  O que não o desculpa. Tendo-a como certeza adquirida ou surfando na mesma prancha, passou ao papel essa atoarda que, malevolamente, perpassa nalgumas franjas partidárias, sobretudo naquelas que criaram,  e vão apadrinhando o Distrito de Viseu por "cavaquistão".
 Poderá tê-lo feito com ironia, para estabelecer o confronto entre os supostos "educadinhos" de Oeiras, que alguém assumiu e que ele refere, com os que, como aqueloutros propalam, são os pouco educados de Viseu, o que deduzo, quando, radica nestes últimos, com exclusão dos primeiros, o dom de juízo e sensatez.
 Fosse como fosse, não lhe vai faltar farto e bom troco, que os beirões do alto, são generosos, a receber e a retribuir...
 Ainda assim, não comungo dos que do alto da toga rasgada, a quente, entendem que o jornal onde o artigo veio plasmado o devia ter proibido ou censurado. O direito de opinião que assiste a Luciano Amaral para expressar as suas ideias, por mais pérfidas que sejam, é o mesmo que têm todos os que ora se apressam a reagir e a responder. Ao órgão de CS, cabe, tão só, estabelecer os perfis dos seus comentadores ou colaboradores, admiti-los ou rejeitá-los, não conduzir-lhes a mão que escreve.
  Mas, despegando-me um pouco deste imbróglio em concreto, ouso reflectir um pouco a propósito dessa estapafúrdia ideia de que as gentes de Viseu andam arredadas do Saber e da Cultura. Nem sinto necessidade de dar exemplos ou fazer listagens de vultos das Letras e das Artes que tiveram aquelas terras de Viriato por chão primeiro. Todos o sabemos.

 Há uns dez anos, andava eu por terras do Sul, um alentejano amigo, companheiro das jornadas de África, daqueles dos sete costados, e que, justamente, se orgulham de o serem, nas longas conversas que íamos travando, contou-me que, na terra onde cada um de nós desenvolvia a sua tarefa,  as mulheres jovens que vendiam o corpo, e que eram naquela  terra alentejana conhecidas por nomes feios, passavam a ser conhecidas e tratadas por  "Senhoras",  sempre que conseguiam passar o Tejo para a outra margem.
   Estou para aqui a conjecturar se todos aqueles viseenses ilustres, homens de Saber e com a coluna vertebral bem direita, de esmerada educação, que carimbam  marcas por Lisboa, e por Oeiras, só deixaram de ser campónios iletrados e mal-educados, quando, vindos da terra de lusitanos, passaram nas portagens de Alverca!

sábado, 24 de agosto de 2013

A LUTA DE GALOS AUTÁRQUICOS...

... que é a Campanha para as eleições dos órgãos locais, está em chama viva.
Uns concorrem, outros concorrerão se outros os deixarem concorrer, um partido move acções judiciais, para que não. Os outros, apelam para que sim. 

 Entretanto, isto até pode ser um pouco cruel e com um toque de demagogia, mas não posso deixar de o exteriorizar: esses grupos de candidatos autárquicos, que, aos magotes, vão passando, irritantes e barulhentos, pelas nossas ruas ou a despejarem papéis e cartazes por tudo quanto é parede, com pás e enxadas nas mãos a ajudarem os bombeiros, quanto mais não fosse, no rescaldo e vigilância, não dariam, melhor contributo á Comunidade e não colheriam mais votos?! A que se podiam juntar comentadores, porta-vozes dos partidos e toda o bando de aves canoras que passam o tempo e ganham a vida a vender-nos ilusões recicladas!

Que vão, que façam alguma coisa de útil, que não seja esbanjar em propaganda da mentira o dinheiro dos nossos impostos!
  Eu sei que esta "luta de galos" é necessárià à democracia, que esta não vive sem políticos, mas, quando um Povo começa a perceber que viveria melhor sem eles, é hora de mostrarem que são gente da nossa Gente e que a hora não é de tangas e promessas, mas de salvar florestas, cidadãos e haveres.
  Parem a música, que rebentam os tímpanos de quem ainda tem ouvidos, mas já não tem bolsos!

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

HUMOR AMARELO...

... mas com música.
O "setor" deu música aos alunos e papás, sacou-lhes umas notas soltas e deixou uns e outros com a boca no trombone!

 Vai bonita a festa......pá!

ACHAS PARA A FOGUEIRA?


 Todos os anos, no auge do inferno das chamas, surge um qualquer super-homem. Que, de Inverno, provavelmente, está a hibernar as ideias. Não que os seus palpites e opiniões até não estejam numa linha ideal. Podem merecer todo o respeito e atenção,  a hora do me
gafone é que não lhe valoriza tão anunciado saber! AQUI
Estes "experts" deviam aproveitar o Inverno para dar opinião e dialogar com quem tem a responsabilidade de delinear a estratégia do combate aos incêndios. Falar agora, com tanto a arder, poderá ser deitar mais achas para a fogueira. Que em vez de guerrilhas, a destempo, do que os bombeiros necessitam, sobretudo os que andam por entre as chamas, numa dádiva voluntária à Comunidade, é de ânimo e apoio no terreno, não de palavras ao vento!

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

LUTAR CONTRA O FOGO NO CARAMULO

... tem sido o primeiro propósito de bombeiros e populares, na encosta da Serra do Caramulo, onde já houveram povoações em risco e há, até ao momento, uma vasta área de floresta e terrenos de cultivo queimados.
  As últimas notícias, dão-nos conta de mais sete bombeiros feridos, após terem sido cercados pelas chamas, um deles, com gravidade.
  Não há palavras para enaltecer o trabalho e o sacrifícios destes homens e mulheres, numa luta desigual com o monstro do fogo em fúria.
 Dói-nos que, mais uma vez, um dos maiores alvéolos do verde pulmão de Lafões saia a perder destas batalhas cíclicas e já demasiado repetitivas.
  Numa imagem pouco agradável, sinto que este monstro das chamas é um energúmeno aliado dos que com outras decisões  AQUI  e  AQUI  vêm contribuindo para o definhar constante das terras do Interior, deitando por terra todos os hercúleos esforços das Gentes que teimam em não desistir do seu chão.
  Ânimo e bem-hajam, bombeiros, populares, naturais e residentes nessas regiões inconformadas!


R.I.P., RITA, e obrigado!


Os meus pêsames à Família e aos Bombeiros, em especial, aos de Alcabideche!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

HUMOR À AMERICANA

   Obama deixou de comprar cães de água em Portugal, quando se apercebeu que eles se metiam demasiado no vinho!...



DOURO EM CLIMAX


  Há imagens que dispensam legenda. Eis um exemplo flagrante, no nosso vizinho Douro. Aqueles socalcos e os cambiantes dos vinhedos e vegetação envolvente não têm paralelo. Em lugar algum do Mundo!



segunda-feira, 19 de agosto de 2013

DESGRAÇA, NÃO TE VÁS!

 É verdade, também eu penso assim, o turismo está a ter um bom desempenho, em grande parte, pela drástica baixa de procura dos habituais destinos do Norte de África, com o Egipto à cabeça. Também é provável que a exportação de petróleos refinados haja subido, em função do menor consumo interno.
  Há por aí comentadores, dos habituais arautos da desgraça e que nem se envergonham de dar á estampa o seu enfado por terem ocorrido aqueles factores positivos, pois o seu interesse imediato é o "quanto pior, melhor", como foi sempre, que, muito acima do País, está a Constelação dourada do(s) seu(s) partido(s). Se, até dou de barato que as exportações de petróleo tiveram o seu peso no crescimento de 1,1%, no 2º trimestre deste ano, que, se não estou a ver o calendário de patas para as nuvens (que, hoje, nem lá estão), corresponde aos meses de Abril/Maio/Junho, não colou mesmo nada invocarem o turismo como factor relevante. Mas usam-no. Com cola de cerejeira e água em dose excessiva. Essa gente, não poucas vezes, rebenta as próprias minas que acaba de montar, por mero descuido ou fios descarnados, ou enrola-se na serapilheira com que nos tentam tapar os olhos, tal é a sanha do "bota abaixo" e a amargura por este sinal, que, sendo ténue, e não o suficiente para euforias, que se não recomendam, é uma das, poucas, boas notícias que nos têm chegado. O que me leva a reforçar o já repetido pressentimento de que, tanto como estes governos que nos têm traçado o destino desde há décadas, anda por aí muita mais gente com o pé leve para a rasteira, e a mão a jeito,  para o pauzinho na engrenagem, que satisfaça os apetites insaciáveis das estrelas que a guia e com quem traçam objectivos, no breu da noite! Tenham dó....e, no mínimo, não se espalhem nas conjecturas de maior sofrimento, que passam o tempo a espevitar, para que vá ficando por aqui, nos espíritos, e nos bolsos, do Povo com que enchem a boca!
  Não tardarão, muito em breve e que se agudizarão quando vierem mais bons sinais da Economia, mais greves, nos sectores produtivos, nas actividadades exportadoras, em nome disto, daquilo, mas com com o grito costumeiro: desgraça, não te vás!

domingo, 18 de agosto de 2013

TOADA MUSICAL...UHF

... com uma Letra que, palpito, muitos milhares escreveriam, com pequenas correcções.

sábado, 17 de agosto de 2013

O TC NÃO É O BOI ÁPIS!


Vou esforçar-me por ser suscinto nesta abordagem, não vá um João Ribeiro qualquer, mesmo antes de eu a terminar, vir ler um comunicado contra tudo o que vou tentar transmitir.
  Pessoalmente, não tenho quaisquer amarras, enquanto militante ou simpatizante,  nem ao PSD nem a partido algum. Tenho a minha visão de sociedade e é a partir desse quadrante que vou encarando factos, medidas e comportamentos, venham eles de onde vierem. É subjectiva, como todas. Nem poderia ser de outra forma.
  Ouvi o discurso de Passos Coelho, proferido na festa do Pontal. Não disse nada de substancial que, os mais atentos, já não hajam ouvido, para lá de voltar a mostrar alguma resiliência e, louvo-lhe a atitude, sem embandeirar em arco com os últimos resultados que os diversos organismos foram fornecendo do comportamento da Economia, nos últimos meses. E, era precisamente esse ponto o que mais me aguçava a curiosidade.
  Passando às reacções por parte de comentadores e de outras forças partidárias, o enfoque centrou-se numa eventual- imagem já estafada -, pressão sobre o Tribunal Constitucional. Isso mesmo, se apressou o porta voz socialista, com megafone no Rato, ainda se ouvia no Algarve o eco das últimas palavras de Passos Coelho, a explorar, gritando aos sete ventos,  que o PM estaria a pressionar o TC.
   Fiquei a saber que, para o PS, o Tribunal Constitucional é pressionável. Lá saberão porquê....
   Mas, o que eu não entendo mesmo é esta fobia, que já não é recente, de que é quase proibitivo invocar ou, simplesmente, pronunciar o nome da Constituição da República, essa mesmo a que eu assisti ao parto, em pleno PREC. Como se essa Lei fundamental, fosse uma Vaca Sagrada, irrevogável, onde se não pode tocar nem num fio de cabelo, melhor, num pêlo, para não desconectar a imagem! E, pelos vistos, pela reacção desse Senhor João Ribeiro, duma assentada, e por acréscimo,  proibição de qualquer alusão ao Tribunal Consitucional, mesmo que todos nós saibamos não ser um outro animal sagrado, como o Boi Ápis!



sexta-feira, 16 de agosto de 2013

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

O PLEBEU DE AGOSTO


 Há quem os conheça por plebeísmos, outros chamam-lhes arrotos da Alma, alguns, ditados populares.
 Para o Vouguinha, em cujo leito foram germinados, não são grande coisa, mas também não são nada daquilo. São os gemidos diários da água deslizar pelas rochas duras de margens que já pouco irriga.
 São os da primeira quinzena, que, se não se dissiparem os ecos do pensamento, para a próxima, mais haverão!







PAUZINHOS NA RODA PEDALEIRA



  Há uma quase unanimidade dos "especialistas" na matéria, POR EXEMPLO, AQUI de que o crescimento, ainda que ténue e que, como já fui dando nota, ainda não resolve nada e não deve dar aso a euforias, se deve, em grande medida, à subida das exportações.
  Os de o
utros partidos ainda não tive ocasião de ouvir, mas o Zorrinho do PS e um deputado do Bloco de Esquerda, já descobriram que é ao Tribunal Constitucional que devemos este drible à recessão, no 2º trimestre. Registem bem que, daqui a 100 anos, numa enciclopédia do anedotário nacional ou, até, no eterno Borda D'Água, esta tese vai ser a mola de muito riso!
 Nesse e noutros quadrantes  partidários, parece que tudo vai mal, quando roda bem: quando as exportações estavam a subir, deitou-se mão de prolongada greve nos Portos. Agora, em plena época alta do Turismo, com notícias promissoras nesse sector, há que paralisar os aviões.
E os santos ingénuos, até dizem que são coincidências, que é um justificado exercício do direito á greve,  que não há alguém a meter pauzinhos na engrenagem, com receio que a bicicleta chegue à meta!
  Passamos todo o tempo, com muita ou pouca razão,  a desancarmos  no Governo, que nem nos apercebemos que há mais culpados neste ciclo do nosso descontentamento!

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

ESTADO DE NEGAÇÃO



 
Factos, são isso mesmo: factos!
 Eu sei que, mesmo perante os indicadores de instâncias internacionais e do próprio INE, de que o segundo trimestre foi de crescimento, ainda que tímido, um drible simples à recessão, não podemos lançar mãos de foguetório optimista. Muito menos, imitarmos aquele Ministro de Sócrates que, em 2008 AQUI, no voraz arranque para o Abismo, anunciava ao País estarmos no fim da Crise!
 O que eu considero desprezível e pouco sério é que haja gente, que, na sua gana de ideologia partidária, tenha o desplante de negar evidências, clamando que é mentira, que todos aqueles dados são falsos. É típico. Fazem parte da tal "malta" que, sempre que via a rapariga subir uns centímetros na mini-saia, se apressava a tentar baixá-la....de todo!
  É evidente que um rebuçado não é garantia de boca doce por todo o tempo, nem compensação para a glicose em perda, que as agruras com que nos vão flagelando estão longe de se dissiparem. Mas é um sinal. Um sinal positivo, sobretudo, quando não foi anunciado pelo Governo, em causa própria, do que, justamente, desconfiamos sempre. Foram organismos independentes, nacionais e estrangeiros, a garanti-lo.
 Quais os objectivos dos que entram em negação?!
 O diagnóstico está à vista, falta tratarem-se e saberem conviver com a realidade, descendo a este espaço terreno que coabitamos e queremos ver melhor!

terça-feira, 13 de agosto de 2013

TÁXI, TÁXI!

   Somos do tamanho dos outros, maiores, até, nalgumas páginas remotas da História, mas continuamos uns "pequenotes", sempre que invejamos e pretendemos imitar tudo o que os da estranja fazem, mesmo que sejam acrobacias sem sentido ou macacadas de encher o olho!
No cidadão comum, educado desde pequeno em ambiente de publicidade mediática, onde, não poucos, ainda fazem da caixa mágica da TV, o seu sacrário, e que tudo o que as santas línguas de serviço articulam, vale por um Evangelho, não surpreende que hajam engrossado a procissão dos que clamaram por que o exemplo do Primeiro-Ministro norueguês, vingasse na Almirante Reis ou numa corrida que, do Aeroporto, arribasse ao destino no Areeiro, depois de duas voltas por Massamá.
O que me cheira a esturro de miolos queimados é ouvir de jornalistas topo de gama, comentadores de fabrico exclusivo para os canais de maior share, jornalistas de craveira e colunistas pagos a ouro, que o exemplo do Chefe do Governo norueguês devia ser seguido pelo Primeiro Ministro de Portugal. Todos os fizeram, em jeito de desafio, alguns com um sorriso larvário, como se projectassem uma viagem à Cova da Moura, com o taxímetro em tarifa nocturna.
Não que esteja a sentir as dores duma eventual cacetada no homem do volante, numa qualquer ruela mais escura, mas, ver e ouvir eminências comunicativas pretenderem recriar aquela demagógica tarefa do clonado taxista norueguês, reconhecendo-lhe, deduso eu, uma virtuosidade exemplar, diz bem do tamanho médio da fontanela de gente que devia ver um pouco mais além.
Antes de mais, porque aquele serviço a que o Chefe do Governo norueguês se prestou, não foi mais que um episódio propagandístico, enquanto candidato ás eleições que se avizinham e em que vai escorregando nas sondagens. Depois, parte  dos seus supostos clientes, os que mais se pronunciaram durante as viagens não passaram de figurantes pagos, pelo seu partido, para a representação.
Será disto que, por cá, os apressados emissores dos convites , gostam?
  Como gostaria de os ter ouvido dar a conhecer a organização política daquele País, do funcionamento da sua Justiça, do comportamento dos seus cidadãos e, - porque não? -, dos 169 deputados que compôem a Assembleia norueguesa, comparados com os 230 que roçam as espaldeiras de S. Bento!
Por mim, dispenso bem! Cabriolarias faz de conta e fantochadas circenses, já vamos tendo por cá muitas. Em excesso, digo eu!
Mas, ainda que o não fosse, a Noruega é dos países onde melhor se vive no Mundo. Se o taxista governamental português, fizesse umas bandeiradas quando jorrasse mel e ouro pelo país, como soe dizer-se, não lhe reconheceria qualquer "avaria", que nulo era o risco de viajar com carteiras cheias nos bancos de trás!
  Somos "pequenotes", nestes e noutros quadros, quando pretendemos pintar com a grandiosidade de artistas consagrados. Que, se não nós falta engenho e arte para todo o tipo de pinturas, nós não somos da Noruega!

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

BONS SINAIS...


  ... mas não me aventuro em embandeirar em arco, que as euforias gratuitas, resultam em dolorosas decepções. O PIB do País terá invertido a tendência recessiva, segundo os jornais da especialidade, como ESTE.
  E, a minha especial cautela, por me lembrar que não é fácil manter o ritmo, quando, de repente, alguém começa a remar em sentido inverso ou, mais prosaico, como no tempo das mini-saias, em que, sempre que uma mulher subia uns centímetros, alguém se esforçava lhe baixar a sa
ia toda!



  Mas, são bons sinais que, no mínimo, dão vitalidade à nossa esperança, prestes a sucumbir!

HUMOR DE ESGOTO

   
 Neste mês de Agosto, com milhares de portugueses a demandarem o Algarve, dispersa entre tanta gente boa, também porcaria por lá desaguou.
  Alguma, já terá mesmo corrido o risco de submergir,o que foi evitado a tempo de evitar que fossem conspurcadas aquelas praias tão belas.... AQUI

Photos of Quarteira - Featured Pictures
This photo of Quarteira is courtesy of TripAdvisor

domingo, 11 de agosto de 2013

ATÉ AO REENCONTRO!

Finou-se este amigo. Residente em Pemba desde os primeiros anos de vida, ali cresceu, estudou, cumpriu o serviço militar e viveu até alguns anos depois da Independência. Piloto da Aviação Civil, em Cabo Delgado, era filho do Senhor Coelho das "carreiras", como os populares conheciam aquele que foi o pioneiro dos transportes colectivos terrestres por toda o antigo Distrito do Norte de Moçambique. 
  O António Coelho, o meu amigo Tó, partiu para outro espaço, mas ficará sempre na minha memória e na de muitos amigos que soube ir reunindo ao longo duma vida digna e de trabalho. 
  O vazio que sinto é não termos acabado  a conversa do último encontro. Ficou a meio, por manifesta falta de tempo, pois estava para breve o seu regresso ao Luxemburgo onde trabalhava. No próximo reencontro, está prometido, no repouso eterno, lhe daremos epílogo e prolongamento.
  Até lá, olha por nós, bom amigo, e repousa em Paz, junto ao Deus que sempre te guiou os passos terrenos!

A foto é do meu amigo Jaime Gabão, in Forever Pemba.

sábado, 10 de agosto de 2013

LAFÕES...

....o  Zela, o Vouga, o Sul, as piscinas e as Termas, lembram mais nestes dias de canícula...

Mais um mergulho, nesta    PISCINA

                                                          ou  nesta:


video

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

AS VACAS NO PEDESTAL

Ando, frequentemente, a tentar que retirem do pedestal, onde teima em manter-se intocável, a vaca sagrada que é a Constituição. Meus amigos, sem me adiantar muito, que seria espalhar areia num deserto, Portugal já parece o Jardim dos Poetas, de Oeiras. Há estátuas por todo o lado! Estátuas com mais vacas sagradas, intocáveis como a vaca raínha. Deusas terrenas aos pés de quem este Governo se ajoelha e a quem pede a bênção. Todos os que descontaram durante uma vida, deveríam estar a salvo deste saque às pensões. Invocando um último recurso, de corda na garganta, pronto a cair do estrado do cadafalso, dizem-nos que é imprescindível mais este sacrifício, que, até, pretende alguma equidade, na medida em que nivela as pensão do Público com as do Privado. Até não é de enjeitar este princípio. Pressinto-lhe algum sentido de Justiça. Mas que, para não defraudar expectativas criadas e contratos tácitos entre funcionários e o Estado, teria efectividade a partir de agora, para quem, mesmo sabendo desta espremedura, se sujeitasse a entrar na prensa pública.
Mas, a realidade, o pacote das medidas em torno da redução das pensões, vem deitar por terra esse apregoado sentido de justiça e de equidade, que vou invocar, mesmo sabendo que é uma mau princípio exigir que outrem seja apertado no mesmo torniquete, sempre que lhe sentimos o aperto.
E, lá vêm as tais vacas sagradas. São os ex-políticos, a quem 12 anos de serviço, conferem choruda e vitalícia pensão, são os reformados da Caixa Geral de Depósitos, são diplomatas e magistrados, para quem o Governo invoca terem a reforma indexada aos salários dos activos e são os do Banco de Portugal, a navegarem em ondas dum mar independente, que é o seu Estatuto.
Irrevogáveis, pelos vistos, estes e outros "pinchevelhos" que leis oportunistas foram criando, umas vezes, ao sabor de interesses próprios, já que os políticos não fazem leis com que se possam queimar, outras por snobismos de classe e outras, até, provavelmente, por pressões sindicais! Irrevogáveis, intocáveis, inalteráveis! Não me tirem este sorriso irónico, amarelado. Quem pode invocar estas qualidades em dispositivos legais, da competência do Governo ou da Assembleia, depois de todos os atropelos, rasgões e tentativas de demolição de direitos adquiridos e garantidos por diplomas legais?! Desfeitos num ápice, muitos de um dia para o outro, e mais não foram mercê do travão do Tribunal Constitucional?!
Quando, e refiro por mero exemplo, até a miserável esmola, mesmo assim bem aceite, enquanto gesto, simbólico sinal, de reconhecimento do sacrifício de tantos, atribuída aos ex-combatentes, foi, num estalar de dedos desertores, ou drasticamente reduzida ou extinta? Uma, entre tantas, que não foi excepção nem teve direito a pedestal... ROUBO DAS ESMOLAS
Não me dêem música, que gosto, mas não deste fado vadio e aldrabão.
Não me falem em justiça e equidade.
Não invoquem justiça nas excepções.
Façam reuniões de 12 horas, mas aproveitem o tempo para construir um Estado de Direito e não esta coisa pegajosa onde as vacas sagradas se espojam e a quem os restantes passam a vida a dar palha!

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

AS VACAS E AS SWAP

  Afinal, tal como eu previa, só ainda me não havia apercebido, já está outro condenado à pira das swap. Agora é um Administrador das Águas, nomeado pela "mamã" Cristas. Segundo os censores, o homem era colega do Secretário demitido, no Citigroup.  Não me vou repetir, a propósito dos cuidados requeridos por parte de quem nomeia. Disse tudo no post que ANTECEDE.
  As SWAP, são afinal, um monstro, um vírus terrível, que estava, não só na carteira deste Banco, como de muitos outros. E que, todos que lhe mexeram, no exercício do seu mister, estão contaminados. O que me surpreende é que a maior epidemia de swap foi autorizada e contratada pelas empresas públicas durante o Governo Socialista do Engº Sócrates e, que eu saiba, não está marcada nenhuma fumigação para os lados do Rato!
  Desconfiado como sou, dou comigo a pensar se tanta cruzada contra estes ex-privados, não é cortina de fumo lançada pelos índios da rataria, para iludirem a própria culpa com falsos sinais das suas fumarolas.
  É que me estou a lembrar dos tempos do contrabando de gado na fronteira junto a Vila Verde da Raia. Sempre que os contrabandistas pretendiam fazer passar para Espanha uma manada de centenas de vacas, telefonavam para a Guarda-Fiscal, alertando para a passagem de gado em local diverso. Lá ocorriam, com toda a sua força, os homens da autoridade, que só encontravam duas ou três cabeças de gado velho ou doente, enquanto, não muito longe, ia passando, calmamente, o grosso da manada!
  Estes catecismos políticos já não trazem nada de novo. Só estratégias já muito conhecidas!...

O JORGE DO CITIBANK...

... demitiu-se. AQUI Foi Secretário de Estado por dias. Dias que lhe devem ter deixado um gosto de poder amargo como o fel, tanta a cicuta que lhe foi servida, quer pela habitual oposição, sempre a vasculhar o rasto das figuras ministeriáveis, quer pela Comunicação que assenta a lupa nas pegadas que esta gente vai deixando nos terrenos que pisa.
 Cálice que bem podia ser evitado se quem nomeia se antecipasse e fizesse uma viagem aturada ao passado profissional dos cérebros que convida,  para cargos de Governo e para outros de gabarito no espectro público.
  É justo que fique bem claro que Pais Jorge não cometeu qualquer ilegalidade, que é o que releva num Estado de Direito. O facto de, em exercício privado, ter vendido produtos do Banco de que era alto quadro, nomeadamente as incandescentes swap, que, ora, nas suas funções públicas teria que renegociar, provavelmente, até, junto do seu anterior patrão, é, convenhamos uma situação que pode ser conflituante. Se bem que, sempre ouvi dizer, que os melhores polícias são os que conviveram em ambiente de ladrões. Que lhes conhecem as "manhas" e os "hábitos" e o "modus operandi".
 Tomou a decisão certa. Para seu recato e para alguma paz neste fogo cruzado em que nos movemos.
Em suma:
O que eu não deixo de estranhar é toda a sanha contra este homem, só porque ele trabalhava num Banco que vendia Swap, sem que haja cometido alguma ilegalidade, o que é o mais relevante num Estado de Direito, enquanto que pulhas, ao bom estilo da Mafia, andam por aí bem dispostos e, ainda, a viverem à conta dos proventos que ganharam ou sacaram do erário público, alguns com direito a vénia..e eterna adoração. A transparência e a honestidade, que eu defendo para este País, não devia ter coloração, nem ser de Esquerda ou de Direita, do Centro ou de Nada. A Comunicação Social, no seu desmesurado poder, não tem andado bem neste campo. Tanto promove ídolos com pés de barro, como derruba estátuas de gente honesta, ao sabor dos catecismos ideológicos.

 Mas, continuo a defender que no exercício de altos cargos públicos, não há meias medidas e todos têm que ser como a mulher de César!

terça-feira, 6 de agosto de 2013

VOUZELA NÃO DESISTE!

  Mais uma iniciativa de dinanismo, contra ventos e marés, de Gentes que não querem baixar os braços.
  Antecedeu as já antigas e conhecidas Festas da Vila, que vão decorrer de 7 a 12 de Agosto, com um Cartaz de muita animação.
 As fotos são do Município de Vouzela, que o Vouguinha2 saúda pelas felizes iniciativas!


 Feira Social e do Associativismo, em imagens da Página do Município de Vouzela, de que cometi o abuso de me servir, para dar testemunho de tão feliz evento:

video

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

DOR DE BURRO

 

Acredito, NISTO, Minha Senhora. Cada qual, queixa-se das suas dores, mas, soubesse a Dª Helena o quanto tem sofrido a maioria dos portugueses, desde há anos, e chegaria à conclusão que as dores do seu Paulinho, desde Setembro, não terão passado daqueles pequenos achaques, conhecidos nas feiras e nas famílias, por "dores de burro"!

domingo, 4 de agosto de 2013

A TVI DA CONSTANÇA

 Não vou perder tempo a mexer nos fios da badalada teia que terá sido a abortada tentativa de compra da Media Capital, dona daTVI,  por parte da Telecom, para satisfazer os hipotéticos interesses do PS, nem de Sócrates, nem de Vara, muito menos, de Rui Pedro Soares, de toda aquela novela que foi rodada em torno desse enredo.
 Quedo-me pelo tempo presente e pelas notícias que vamos lendo e ouvindo, a propósito dum mal-estar naquela estação televisiva, que vai mantendo o seu share, penso, graças aos programas de entretenimento e à ficção nacional.
  Quanto à Informação, aos Debates, aos comentadores residentes e aos jornalistas que gravitam nessas áreas, é que, lendo ISTO, me fico a interrogar se, num futuro próximo, para lá das duas figuras que esta Estação resgatou da RTP1, essa mesma, onde ambos foram estrelas,  no tempo do consulado socretino, depois de expurgada de José Eduardo Moniz, de Manuela Moura Guedes, a do Jornal de Sexta, que Sócrates rotulou de "jornalismo miserável", relegados para segundo plano jornalista como Ana Leal e outros, restará como estrela polar daquele firmamento, Constança Cunha e Sá.
 Para que se cumpra o Fado antigo e aquela novela de há anos tenha, finalmente, epílogo!


sexta-feira, 2 de agosto de 2013

OS VAPORES DA CUBA

... podem afectar-nos a cuca. Sobretudo, quando o material é de boa graduação alcoólica!
 No Café atabernado onde tomo 
a primeira bica matinal, sempre que entra um cliente a queixar-se da chuva que vai caindo na entrada, o proprietário responde, de chofre: - Aqui, só pinga!  Branca e tinta, depreendo eu.
  Tudo isto, a propósito dos bafos fermentados que andam por aí, nos noticiários.
  Olhando bem para esta foto, uma amostra das riquezas que este país ainda vai produzindo, é crível e esperançoso para os produtores, que vai ser de estalo a colheita deste ano.
  Saberemos nós, saberá qualquer juiz entendido nas leis da Física, especializado na dinâmica das forças braçais, calcular quantos frigoríficos e outros electrodomésticos poderá um legítimo herdeiro do Baco, com ponteiro elevado no alcoolómetro, carregar no camião da reciclagem?!
  Quem se arriscará a fazer os cálculos, onde todas as contas saem furadas e onde o manicómio saltou dos altos muros e pode, até, vestir toga?!


quinta-feira, 1 de agosto de 2013

A MALAPATA DA DEMOCRACIA...

... é não se poder efectivar sem partidos políticos. Sobretudo, sem estes, os da Democracia Portuguesa. Uns, que já vinham contaminados, quando ocorreu a Revolução, outros porque se viciaram e outros, ainda, porque ficaram amarrados aos dogmas do Passado, sem acordarem com os ventos da mudança.
 Fica sempre a esperança de que se regenerem por dentro, que bebam novo suco de dignidade e de valores, mas não é nada que se obtenha sem um congeminar muito forte de vontades.

 O desabafo desta jornalista, na SIC - vídeo em anexo -, não me trouxe nada de novo que não seja avivar a convicção do que já, em 2008 e 2010, havia por AQUI plasmado.
  Em Democracia, não vale tudo, nem o Poder, por mais que satisfaça os partidos e suas clientelas, pode continuar a estar primeiro e justificar todas as artimanhas e jogadas sujas.
  Estamos fartos! Joguem limpo ou acabem de vez com esta Democracia de lojas e catacumbas!