Iniciar

Para iniciar esta Página, faça um clic na foto.
Navegue....e mergulhe, está num rio de águas límpidas!

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

SONHAR PEMBA

video
  Já lá vão décadas. Outras poderiam vir, que Pemba, a ex-Porto Amélia, continua na retina e na Alma de muitos que lá nasceram e viveram. as paisagens, as suas Gentes, deixaram marcas indeléveis na maioria dos que fizeram daquele rincão a terra sua. Bate a saudade, que não envergonha. Sonha-se com a Baía, que de sonho é a sua imagem. E, quanto mais nos afasta o tempo, mais nos aproxima o desejo de rever aquele chão macua.
 Estas imagens de mão amiga, são de tudo isso uma prova insofismável, e dos elos que ligam muitos de nós aquele Paraíso no Índico, com Gente dentro, que vai sabendo receber....


domingo, 22 de dezembro de 2013

CAUTELA E CALDOS DE GALINHA...

... nunca fizeram mal a ninguém!

 A Natureza, já por si, é imprevisível. Melhor será que a não desafiemos!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

BOAS FESTAS!

   Para todos os que vão passando pelas margens do Vouguinha2 e são caminhantes nas suas trilhas, independentemente de crenças ou religiões, votos dumas Festas Felizes e dum Natal de Paz e Harmonia!


quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

COMISSÕES DO DESPERDÍCIO...




... de tempo e dinheiro, sobram.
Falta eficácia e, sobretudo, coerência!


Nunca dei  qualquer valor às Comissões de Inquérito. Sempre as entendi como pura perda de tempo e forma subtil de ocupar e justificar o desmesurado número de deputados no Parlamento. Andam por ali em sessões, puxam dos seus galões para fazerem comparecer esta ou aquela entidade, lava-se roupa suja, com sabão que, por vezes, raia o insulto, e no fim o que temos? Nada. Nada de concreto e de útil, nem para nós nem para aquele arremedo de Democracia de que se diz aquelas Comissões serem  um dos instrumentos.
Ainda assim, não deixa de ser caricato que os partidos políticos que mais useiros e vezeiros são na criação dessas comissões, garantindo-lhes eficácia, verdade e resultados palpáveis, sejam, como no caso do PS, os que ora vêm protestar contra os resultados desta Comissão de Inquérito às SWAP. Haja coerência!!!

Quanto à minha posição, a propósito das Comissões de Inquérito, há muito que penso assim. Desde 2008 que o venho reclamando:

                                                                   AQUI

                                                     

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

MIMOS DE NATAL

 
Dou conta que muitos dos meus amigos, tocados pelo espírito natalício, andam por aí fazendo uma lista de presentes a um Pai Natal de toga preta, a que alguns chamam de Pai Constitucional, para que lhes deixe fora do sapatinho um corte nas pensões, eufemisticamente, conhecido por "Convergência das Pensõ
es". Ainda não lhe fiz tal pedido e nem sei se valerá dobrar os joelhos a essa divindade do Ratton. Avisado que me esforço por ser, sei que, se não forem aquelas prendas, com lacinhos pretos, outras divindades se encarregarão de me presentear com uma garrafa que, no lugar de champanhe, será aberta no Novo Ano, com um qualquer líquido corrosivo, daquele que não nos faz borbulhas na barriga!.... É que, pensando bem, seja um golpe de machado ou de catana, só nos fará sangrar. Ainda mais!....
É a vida. Alguém a fez e vai fazendo assim......

domingo, 15 de dezembro de 2013

CARTA À DEUSA ATENA



Hoje, é Domingo. Mas não venho aqui cumprir e rezar nenhum acto de contricção! Tenho alguns pecados, mas não neste tema. É uma resposta à  Deusa Atena.... ou a todos os sábios deste Mundo tão terreno.


 Minha cara Atena, não te posso deixar sem resposta, que, se por mais não fosse, a consideração que tenho
 por ti, a exige. Começo com uma nota de humor à parte inicial deste teu último comentário: julgas, e bem, conhecer-me há muitos anos. Eu diria que, porque me conheces há tanto tempo como eu te conheço a ti, desde os tempos dos calhamaços de capa encarnada a que davam o nome de História Universal!  Atena, com estes teus dois comentários, com especial ênfase no início do primeiro "Até que enfim, que te vejo ao lado dos professores" e com o que verteste neste último, estás, penso que involuntariamente, a fazeres de mim um exterminador implacável, algo parecido com um filme tipo "CAÇA PROFESSORES 2". Não posso aceitar esse estigma, minha cara. É injusto, desprovido de qualquer razão válida, que até sugere a antiga marca do "quem não está comigo, está contra mim"...
Não sei se, como dizes, me tenho exprimido, quanto a esta temática, de forma que te haja confundido, ao ponto de não descortinares a minha linha de pensamento. Será problema semântico, da minha parte, que, reconheço, sou pouco cuidadoso na escrita e,raramente revejo o que escrevo. Porque, no campo das ideias, e da sua discussão, não descortino onde se situem as tuas dúvidas.
Acabaste por me estampar, aqui, uma imagem de menor consideração pela Classe dos Professores e deixas-me, injustamente, embaraçado perante os muitos profissionais que, inclusive no Face, fazem o favor de ser meus amigos ou estarem nos meus contactos, para já não referir familiares, que não são poucos (um deles até deve ir fazer a tal prova que eu defendo), quando no concrecto e, no global, tenho por eles a maior estima e consideração.
Desafio-te, amiga, e entende isto sem qualquer agastamento para contigo, a fundamentares as minhas tomadas de posição que te levam a sugerir a minha pseudo animosidade para com os docentes deste País. Que eu terei o cuidado, se for caso disso, de apontar registos, quer por aqui, quer nos meus blogues, Vouguinha e Vouguinha2,  onde escrevo desde 2007, em que defendo e enalteço as razões que lhes assistem, em muitos aspectos, começando pela postura e algum alheamento dos pais no esforço de educação dos filhos, passando pelas dificuldades que lhes são colocadas, a eles docentes, perante as turmas desmesuradas, em centros educativos que são autênticos armazéns ou madrassas.....
Não tomo a árvore pela floresta. E, se é verdade que tenho para mim como pressuposto objectivo que a Educação em Portugal se degradou de forma notória a seguir à Revolução, também é verdade que o ferrete dessa falência tem muitos e diversos fautores, ancorados no todo que é a nossa Sociedade.
As minhas ideias, e é no campos das ideias e das políticas que debato, nunca no das pessoas, é fundamentada.
Criei e eduquei 5 filhos, por décadas, com instrução ministrada nos mais diversos estabelecimentos de ensino e por professores das mais diversas competências e dedicação. Os netos ainda por lá andam. Tal, permitiu-me ir-me inteirando, ao longo do tempo, do rumo da Educação, mormente de alguns autênticos "milagres" de que muitos professores foram executantes, a despeito de outros. Fiquei com uma visão alargada deste fenómeno.
E, é com a autoridade que tal experiência me cauciona, que critiquei e vou continuar a criticar, sem que tal seja cruzada contra esta ou aquela classe, mas porque tenho opinião livre e nunca a deixo amarrar ou condicionar.
A Classe dos Professores, Atena, não é só a que se espelha na imagem que o Sindicato da CGTP, transmite ao País. Há mais vida, professorado e organizações de classe,  para lá do professor Nogueira, de quem, a propósito, te coloco a questão retórica se alguma vez o ouviste concordar - uma só vez que fosse - com as medidas da Tutela. Desta ou de qualquer outra.... Não viste, nem verás, que a Agenda é outra....
Concordo e defendo a avaliação dos professores, sim. Não por birra ou qualquer preconceito, mas porque a encaro medida válida, como adiante tentarei, de modo breve,  fundamentar. Condenei e continuo a condenar, é verdade, aquele "chavascal" nas galerias do Parlamento, com o senhor Nogueira à cabeça. Não tanto por ser ilegal, mas mais pelo péssimo exemplo transmitido aos educandos, a quem, legitimamente, os professores exigem disciplina e ordem,  nas saulas de aula!
Quanto à "Avaliação", Atena, defendo, até, que ela tenha lugar na fase de admissão ao cargo, com uma bateria de exames que, para lá dos saberes específicos, inclua os de âmbito psicológico, nesta e noutras áreas sensíveis de serviço público, para que os servidores empenhados e competentes não tenham o seu estatuto conspurcado por indivíduos sem qualquer vocação, neste caso, para a docência ou com comportamentos pessoais que atentem contra a dignidade dos seus pares.
Da mesma forma que um licenciado, por exemplo, em Direito, não pode ser advogado ou juiz só porque traz um canudo debaixo do braço, acho por bem que um licenciado em Ciências da Educação, ou curso similar, seja avaliado para o exercício do Professorado.Que não, que as Universidades são competentes para aferir dessas capacidades. Acredito que sim, por regra. Mas, numa visão pragmática, não nos podemos esquecer que, algumas, nem sempre o serão, como comprovam as competências de Relvas e o exame ao Domingo do "engenheiro", para não me alongar nos exemplos.
E, pensando assim, qual a violência ou a monstruosidade desta medida?
Para mais, uma Sociedade em que há "canudos" excedentários em muitas áreas, só pode, com toda a legitimidade e oportunidade, valorizar a meritocracia, em detrimento dos hábitos arreigados do "apadrinhamento", do presunto curado, ou da santa intervenção do Cura da aldeia. E, a selecção pelo mérito, só pode ser feita através de avaliações e provas.

Voltam a dizer-me que não, que as admissões já são por critérios de médias de fim de curso. Nem me alongo para explicitar o quanto são diferentes os critérios de atribuição de notas finais entre os diversos estabelecimentos de Ensino Superior, começando, desde logo, pelo desfasamento ente Público e Privado, com prejuízo para os alunos do primeiro...
Sei que não estive só a responder-te, neste lençol de cama larga, tendo aproveitado o ensejo para explanar ideias, as minhas, mas termino dizendo, sem qualquer hipocrisia, o que tenho garantido muitas vezes: nada me move contra os professores, bem pelo contrário, admiro e devo muito a muitos e bons mestres e dói-me quando vejo que, por razões adversas ou culpas próprias, o seu estatuto é degradado.
Desejo-te um Bom e Santo Domingo, nesse teu milenar repouso mitológico.  Como garantia, só te posso dar a frontalidade e de nunca deixar de dizer o que penso, por medo, por parcialidade, ou por receio de desagradar seja a quem for. Esforço-me por ser justo e lutar pela Verdade das "coisas", sejam elas de que natureza forem. Aos que não me quiserem aturar assim, só tenho que pedir desculpa, mas eu sou assim e só mudo de opinião quando factos novos e novas provas, me façam reflectir e alterar a visão  e convencimento sobre os temas em discussão.

sábado, 14 de dezembro de 2013

O BARCO ESTÁ DE SAÍDA?

 O horizonte próximo era o 2º Resgate, o pior dos males reservados a Portugal, com todas as dolorosas implicações, que, percorrendo de novo a austera trilha, seria uma previsibilidade cruel para os portugueses, já tão prensados por uma Crise, de raízes antigas e profundas, que nos bateu forte.
 Foi este o cenário urdido, agitado e garantido, como fantasma draconiano, pelas oposições, tendo por porta-estandarte o principal candidato ao Poder.
 Vieram outros sinais, soprados com ventos de alguma esperança. A Economia foi saindo do coma profundo, em parte induzido, em que a haviam prostrado e deu sinal de vida.
 Tudo se altera! Nas previsões dos "olheiros" internacionais, do Governo e, provavelmente, com não pouca acidez, nas mentes dos timoneiros da Oposição, que vinham, de há muito, disparando fortes e demolidores remates no elenco governativo, quer pelas chuteiras dos seus actuais pontas de lança, quer por botas gastas das velhas glórias que, há muito, as deviam ter arrumadas!
  As bolas começam a bater na trave, nos postes, sinal de alerta para o PS, que tem receio de que a assistência, cansada de tanta e insistente azelhice, comece a assobiar e despeça o treinador!...
 O discurso muda. Já não é o novo resgate que arde na fogueira do Bota Abaixo. Tem que se encontrar um novo Diabo que lhes salve a retórica gasta, que, tanto investimento em propaganda do contra, não pode esfumar-se como palha seca.
 E, ei-lo! De forquilha em riste, tem, desde a pia baptismal o nome de "Programa Cautelar" , o escolhido pelos padrinhos europeus.
  Rejeitado pelos irlandeses, que preferiram uma cura sem aditivos protectores ou um salto no trapézio sem rede, é, agora, no panorama luso, a fornalha das raivas oposicionistas, a quem o malvado "2º Resgate" terá deixado de mãos vazias e lábia gretada!
 E, zumba, tumba, catrapumba, há que malhar na "cautelar", tanto mais que só teria um ano de vigência e até já não permitia a Seguro provar-lhe a calda...
  Os socialistas que, mesmo quando a tal convocados pelo PR, rejeitaram os acordos por ele propostos para um entendimento a longo prazo com os partidos na governação, enjeitando, mesmo, benesses para um precoce e hipotético regresso ao pote, vinham dizendo que não, que nunca entrariam na Barca, com este Governo ao leme.
  Depois, ainda não há muito tempo, proclamavam, em tom solene, mas estridente, de que os entendimentos e acordos com o Governo se fariam apenas , e só, no quadro do Parlamento.
  Agora, Sésamo, a porta abriu-se! Seguro já pede encontros "tête-à-tête" com o PM, já  dialoga pelo telefone, que não é encarnado, em plena Assembleia!
  Há que aplaudir. Que, sim, é na Assembleia da República, que o rumo do país tem que ser discutido e acordado, que aquela Casa, por nós, bem ou mal,  eleita, não serve, apenas, como arena romana, onde os contendores se digladiam com acusações e insultos perante galerias de claques espontâneas e contratadas, que aplaudem ou apupam, segundo as instruções do Ponto!
 Mas, que ninguém se iluda, tal como não me iludo eu: esta inesperada e pretensa abertura dialogante ou cooperante por parte do Partido Socialista, não acontece por acaso.
  Seguro leu os sinais, os do I.N.E. e os das organizações internaci
onais. Sabe que o 2º Resgate já se não vislumbra no horizonte próximo. Terá mesmo dúvidas, quanto à necessidade do "cautelar", passem os maus sinais que, também eles,  têm enviado aos Mercados.
  O líder do PS já vê, nos seus pesadelos das noites frias, o Governo a recolher as âncoras para que o Barco se faça ao Mar. Não quer ficar em terra, sozinho, na amurada, que o Barco pode estar de saída! E quer lucrar com o resto da Viagem, se esta chegar a bom Porto....
 Que, os portugueses, votam em 2015!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

OS ECOS DA ENTREVISTA!



















 Não me vou pronunciar a propósito da entrevista do PM,  que palavras são palavras, ou "palavras leva-as o vento", diz o Povo, e algum sentido fará.
Nem ouso avaliar.
Mas, não precisaria. Bastava esperar pelas reações dos porta-vozes do piquete de serviço nos partidos da oposição, e dos alinhados comentadores televisivos que logo se perfilam, para aquilatar da postura do entrevistado. Sobretudo, no de serviço ao maior partido da Oposição. E este, deu voz a uma figura de topo, o seu Chefe do Grupo Parlamentar, o ex-Ministro da Justiça de Sócrates, José Alberto Martins (este mesmo:  http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/ministro-de-socrates-com-cartao-dourado
 ), que, visivelmente nervoso, de semblante irritado, tentou contrariar as teses do entrevistado. Fiquei a saber que o PM se havia saído bem.....seja lá o que isso for!
A ENTREVISTA

NEVOEIRO DO VOUGA


 Fotos: https://www.facebook.com/groups/spsul.amigos/652565498128929/?notif_t=group_activity

 Um olhar através do denso nevoeiro do Vouga. Ali, na Termas de S. Pedro do Sul, onde, no Outono,  o ar esfria, mas a água aquece!
  E não é paradoxo. É a vitalidade duma região bela, onde a Natureza fez dos seus caprichos, no calor das águas que ali brotam e das Gentes daquele chão de Lafões!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

HUMOR TALIBAN

    Não os vi no Vouga, pelo Tejo não devem ter passado, será que houve algum desembarque de talibans no Alqueva?
   
           VER AQUI!

sábado, 7 de dezembro de 2013

OBRIGADO, MADIBA!

 Nelson Mandela, repousa em Paz. Na mesma Paz que soubeste cultivar no País que foi teu chão terreno e donde, agora,  vais partir. Fica, entre nós, o teu exemplo de concórdia e harmonia entre os homens, a quem deixaste a mensagem e pesado encargo de ouvirem, para lá dos tempos, todos os teus apelos de homem bom, que soube perdoar e conceder valor  aos melhores sentimentos da vida humana!
  Obrigado, MADIBA!

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

R.I.P, SÁ CARNEIRO!



 Triste, a efeméride! Completam-se, hoje, 33 anos do trágico fim de SÁ CARNEIRO. De nada nos vale ficarmos agarrados ao passado, à espera dum D. Sebastião. Isso é insofismável. Ainda assim, a crer no percurso dum Homem, que eu já admirava antes da Revolução, muito dele haveria a esperar, pela frontalidade e pelo seu apego a uma democracia plena, sem amarras a dogmas e, sobretudo, genuinamente portuguesa, sem algemas a ideologias importadas e dependentes de qualquer esgoto político da Europa ou do terceiro Mundo!
R.I.P., Sá Carneiro!

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

OS ESTALEIROS DE VIANA...

... são o tema do momento.
Pelas piores, pelas melhores, pelas razões assim-assim, vá-se lá saber!
Daqui a um ou dois anos, poderemos avaliar se as centenas de trabalhadores que lhes estavam afectos, ganharam ou perderam. Se o todo nacional, que somos nós, pagadores de impostos, beneficiámos, ou não, com o corte umbilical do Estado àquela empresa pública, deficitária, como, registe-se, quase todas as outras.
 Mas, seja qual for o futuro daqueles estaleiros, concessionados a uma empresa privada, já com provas dadas neste sector e que vem dando cartas pelo Mundo, na área da metalomecânica, ei-los, os partidos, engalfinhados, num vira minhoto, que mais não serve que deixar a nu as fraldas sujas. de uns e de outros...
  Uns acusam, outros lavam mãos, outros, ainda, fingem-se, tão só, preocupados com o destino das centenas de trabalhadores, que, com tanto desnorte informativo e, legitimamente, preocupados com o devir, se manifestam contra a privatização.
  A todos, àqueles e aqueloutros, e a estes últimos, também,  não faltarão razões para consternação preocupada pelo fim da que já foi, em tempos idos, uma das jóias do Estado. A culpa maior, até nem estará em quem governou ou quem governa, é ao aperto global, ao definhamento da Economia europeia que aquela deve ser assacada.
  Que, por fim,  as figuras gradas e que tiveram mãos no sector, e que vêm desfilando nas "passereles" mediáticas, de hora a hora, sem que Deus melhore,  tecer acusações e carpir mágoas pelo fim dos estaleiros, pelo menos nos moldes em que laboravam e se destacavam pelo sorvedouro de dinheiro de todos nós,  não cavalguem a onda, que é de Viana que se fala e não da Nazaré e era nesta onda de 2010, que surfavam. Nesta,   AQUI.

domingo, 1 de dezembro de 2013

RESTAURAR PORTUGAL



Com ou sem feriado, este dia, "1º de Dezembro", é comemorado por todos os que, neste Mundo Global, ainda reconhecem os valores pátrios, não abdicam e sentem orgulho da sua nacionalidade.
  Foi, há séculos, a Restauração da nossa Independência, é, nestes anos conturbados e de dificuldades, cíclicas na nossa História milenar, o anseio de que esta Nação se restaure por dentro, nas mentalidades e no querer das suas Gentes e, sobretudo, nas mentes dos que propõem servir o Estado que a suporta.
  Para que continuemos a ter orgulho no legado dos que, no Passado, foram arquitectos e e obreiros deste País que todos amamos à nossa maneira, o nosso Portugal.
 Que seja restaurado e viva, para lá das Crises!