Iniciar

Para iniciar esta Página, faça um clic na foto.
Navegue....e mergulhe, está num rio de águas límpidas!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

SYRIZA VENCEDOR



Como era esperado, o Syrisa ganhou na Grécia.
A festa vai rija, por lá e até por cá.
Levantam-se as flâmulas, como se o Céu se abrisse nesta Europa em Crise.
Chamam-lhe Esperança e prometem que, agora "vai ou racha"! Que as estrelas estão logo ali, ao alcance duma nega, duma birra ou dum estandarte "Não pagamos"!
Desiludam-se os de conclusões precipitadas. Os que tomam o Senhor Tripsas por um mágico, o homem que descobriu a verdadeira bola de cristal para saber dos destinos da Grécia e da Europa.
Lembremo-nos do famigerado fenómeno Hollande, em França. O homem que chegou a ser considerado como o "salvador" duma Europa em declínio, o Batman que ousaria enfrentar a Senhora Merkell e a quem o PS de Seguro deu apoio e voto de esperança. Dispenso-me de vos maçar com a realidade que se seguiu, logo após tomar posse, nem os salamaleques de contrição submissos, perante a dura dama alemã.
O líder do Syrisa começou por prometer saltar da Barca da NATO, já retrocedeu e que não, que vai ficar; começou por clamar que não pagaria metade da Dívida grega, já vai garantindo que, dessa metade, apenas pagará aos Bancos privados; que ia enfrentar a UE e a Senhora Merkell, agora, já vai falando em negociações ponderadas.
Estejamos atentos e lembremo-nos, para memória futura, hoje, quando as bandeirinhas da euforia já começaram a recolher em Atenas: daqui por alguns meses, das duas uma: ou o Syriza mudou radicalmente e até nos vai parecer o partido de Samaras, ou a Grécia estará mergulhada num maior desastre que a Guerra do Peloponeso.
Não que o deseje. Mas, porque o pressinto!

OS ROMEIROS DE DIANA


Foto daqui: http://observador.pt/2015/01/25/presos-politicos-nunca-mais-mais-de-100-pessoas-apoiam-socrates-junto-prisao-de-evora/

O tema de hoje é sobre esta e outras peregrinações a Évora que, por questão logística, alberga o preso preventivo com mais mediatismo das últimas décadas, mesmo que esteja detido pelos braços da Justiça e não por um qualquer Copcon ou outro braço armado da bandalheira nacional pós-25, como sucedeu com Gente que não fez mal a ninguém.
Já o disse por aqui e não tenho qualquer pejo em reavivá-lo, que, tivesse eu a desdita de ter o José Pinto de Sousa por amigo, já o teria visitado na prisão. Logo, seja por amizade, seja por outro qualquer interesse pessoal ou estratégico, não tenho qualquer reparo a fazer aos muitos visitantes, que, instados pela CS, a pronunciarem-se, se limitam a dizer isso mesmo. Que são visitas de amigos. Nem mesmo àqueles que vão mais longe e dizem acreditar na inocência do "44" do E.P.E.
Bem diferente é comportamento de figuras bem conhecidas e que até já estiveram no leme dos nossos destinos,  que fazem da entrada do estabelecimento prisional o lamentável esgoto dos seus ódios, da sua raiva  aos fautores da Justiça e lançam ali mesmo o veredicto da inocência, da perseguição política, da má fé dos Juízes, ao mesmo tempo que passam um atestado de santidade incondicional ao homem que acabaram de visitar.
No mesmo patamar, mas com contornos folclóricos e de cenas algo patéticas, que, por momentos comparei a manifestações do Clube de Fãs do Tony Carreira, sem qualquer despeito por este último, foi o que vi, ontem, em Évora. Pelos dísticos que ostentavam, pelas palavras de ordem vibradas pelas adenóides daquelas gargantas roucas, aquela romagem, organizada por um alegado "empresário e amigo de longa data" do José, foi um espectáculo deplorável.
Umas e outras, podem bem enquadrar-se numa estratégia de pressão sobre os Magistrados, em cujas mãos o processo do "Marquês" vão passando, mas poderão ser, mais do que isso, uma prova inequívoca da baixa formação cívica de que ainda padece uma larga fatia deste apodrecido melão nacional.
A presunção de inocência é um direito inalienável. Nunca ninguém me ouvirá condenar este ou qualquer outro suspeito, preso ou em liberdade, por casos que ainda correm trâmites na Justiça. Politicamente, sim, desde há muito, por outros e até por factos recentes que o próprio já assumiu, que condenei Sócrates e, disso, nunca o absolverei,mas o tempo da Justiça é outro. Há que a respeitar.
Por isso é que, da mesma forma que ora reprovo estas manifestações de pressão sobre a Justiça, condenaria quem, bem ao estilo das "tocaias", de que alguns são mestres useiros e vezeiros, se manifestasse à porta daquela prisão, a favor do enclausuramento do ex-Primeiro Ministro ou para lhe despejarem chorrilhos de impropérios e insultos!
Que se acalmem, uns e outros. Que aguardem, sem cegas certezas, a verdade de que a Justiça melhor saberá espelhar, sem coacção de espécie alguma.
Quanto ao viajante fantasma, que vos acaba de maçar com mais este verter de ideias, garante-vos que, politicamente, não deixará de vos lembrar quem foi e é, o que fez (e, tanto mal fez) ou deixou de fazer, aquele a quem o símbolo da balança atribuíu o 44, por sinal, o número das minhas botifarras, que, nos sapatos, me fico pelo 43 e sempre desconheci o das ferraduras que tanta alimária vai calçando por este nobre País, que vai sendo tão bestializado nos últimos tempos!

domingo, 25 de janeiro de 2015

A DIANA E O FUMEIRO




Gosto de visitar a cidade do Templo de Diana. É uma cidade com História e digna de visita.
  Só que a Feira do Fumeiro era em Montalegre e não em Évora, que bons gaspachos e sopa de cação há por lá todo o ano!
  O "empresário, amigo de longa data", organizador da caravana, terá contratado autocarros sem GPS?
 Ou será que as bússolas daquela gente perderam o Norte?




quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

VALE DO VOUGA


  Sabíamos da existência de estudos para aquilatar da viabilidade. Desconhecíamos era que estavam em fase tão avançada e com fortes probabilidades de tomar foros duma certeza, conforme noticía o Semanário SOL, AQUI.



  Voltar a ver passar o comboio, mesmo que não seja o farrusco que tanto silvou por entre aquelas serranias, seria alcançar o sonho que o Vouguinha sempre acalentou.
 Que não tarde e que ainda me seja permitido apanhá-lo na estação desta vida breve!


terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Há CHARLIES NA NIGÉRIA?

A ouvir os outros, também somos obrigados a reflectir. E, ontem à noite, voltei a ouvir um debate em torno desta preocupante temática.
Já muito se disse, por aqui e por ali, a propósito dos métodos violentos com que o radicalismo islâmico se procura afirmar, vá-se lá saber com que desígnios.
Não poucos comentadores e até gente de boa fé e Saber, foram apontando como causas próximas para o bárbaro comportamento daqueles fundamentalistas e o seu manifesto ódio ao Ocidente, que deturpam o próprio Corão de que, abusivamente, farão bandeira, o comportamento dos países ocidentais, sobretudo a sua ingerência nos conflitos do Mundo Árabe. Desde a invasão do Iraque, a parcialidade na questão Síria e, sei lá que mais, tudo tem servido de farta justificação para a avassaladora onda terrorista daqueles grupos sinistros, que se intitulam os defensores da Honra do seu Profeta.
E, para além de, à prióri, não aceitar, qualquer que seja a mola despoletadora de tanta brutalidade, dou comigo a pensar na falácia daqueles iluminadas opiniões, justificativas do que vem acontecendo.
Por tal, interrogo-me, das razões que levam os sanguinários guerrilheiros do BOKO ARAM, que, na Nigéria, queimam aldeias e dizimam aos milhares de pessoas da mesma côr e Etnia - que Raça, há só uma, que é a Humana -, apenas porque, aparentemente, não comungarão do mesmo Credo religioso. E, a África não fica na Europa ou nas Américas, nem por lá se conhecem "Charlies"...
Bem podem esses comentadores libertarem-se de atoardas desculpantes, sejam elas movidas por simpatia ou visão deturpada, que, por si e bem melhor, falam os factos e a Realidade, que não é a do Reino da Fantasia onde vivem com as estrelas....decadentes!

Foto, daqui: 
http://peacebenwilliams.com

APITA O COMBOIO



Palavra, que eu não queria. Bem evito, que até eu próprio dou por mim a rabujar em excesso. Mas, desde que um especialista me disse que faz bem descarregar a bilis (para que ele se não congestione e não transforme numa pedreira), não me esforço muito para conter o azedume que estes jogos florais dos políticos nos procuram vender.
Eu compreendo da apreensão dos utentes da denominada Linha de Cascais, confrontados com a redução de comboios a servirem toda aquela considerável mole humana. Até aceito e aplaudo o esforço dos autarcas em exigirem explicações dos mandantes da CP, e pela transparência dos estudos que os levaram a tal decisão.
O que eu não compreendo, nem aceito, porque não papo a erva doce da hipocrisia partidária, seja ela de que campo for,  é que o PS se apresse a tomar como "caso nacional", a ser dirimido no Parlamento, a supressão de alguns comboios na Linha de Cascais. Recuo alguns anos e dou por mim a enumerar quantas Linhas de comboios do Interior deste território que não é só Lisboa nem a sua zona metropolitana, não foram encerradas, sem qualquer clamor socialista de relevo.(Ai a minha saudosa Linha do Vale do Vouga, ai, vizinha Linha do Dão..... 
wink emotico ) Mais, quando os seus últimos governos iniciaram a triste saga dos encerramentos de Escolas, de valências dos Centros de Saúde, do abrandar da manutenção das vias de comuncicação secundárias, as vértebras das povoações do badalado Portugal Profundo? Onde estavam, então, os deputados da Rosa que se sentavam no Parlamento e que, então, cantavam loas ao seu amado lider e ao Governo deles emanado?) Pois, estavam, sem estar incomodados com o que se passava fora da órbita do seu Planeta dourado! Ou, apenas, embevecidos a admirarem as maquetas do TGV, das auto-estradas com igual destino ou aproximado traçado das existentes e outras por onde poucos popós apitam. Quando muito, provavelmente, a comporem hinos ao Magalhães e a arregalarem os olhos nos mármores das obras do Parque Escolar.
Mas, Lisboa e Cascais, e toda a zona da Metrópole que tudo controla e onde se acomodam o maior número de praias e mangas de alpaca por metro quadrado, é outro Mundo. Que o Interior, as cidades, as vilas, as aldeias, os povoados das serranias, são apêndices, que se recusarão a investigar, ou imaginar, para que servem!
É que o comboio deste País, não é o de Cascais, não é o da Linha do Norte ou do Sul, é uma miragem de locomotiva a duas velocidades!
Mudem de agulhas!!!.... Que a Linha do Comboio da Propaganda, de que estes e outros fazem apeadeiro,  também será encerrada, em breve!


sábado, 17 de janeiro de 2015

BICHARADA






 Em 17 de Janeiro de 1995, já lá vão vinte anos de repouso eterno, faleceu Miguel Torga, o pseudónimo do médico Adolfo Correia da Rocha.
 Entre outras obras, escreveu "OS BICHOS", quem sabe se a imaginar se nós, os seus leitores, mais tarde ou mais cedo, não estaríamos entregues à "bicharada"!
 Que seja sempre recordado!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

O PRIMEIRO BANHO DO ANO

 COISAS BANAIS...

Já a chuva caía, quando passei nas imediações dum espaço ajardinado, aqui do Bairro, não há muitas horas. Junto ao passeio, iam-se formando pequenos charcos de água, algo que não acontecia há muito tempo. Foi, então, que lamentei não levar comigo a máquina fotográfica, mesmo que as minhas objectivas naturais não estejam nos melhores dias. A uma escassa meia dúzia de metros de mim, o melro mergulhou, quase imergiu todo o corpo na água, por tempo considerável. Voou, pousou num ramo da árvore mais próxima e, na falta duma toalha de felpa ou pano turco, foi-se sacudindo freneticamente. Mas, não satisfeito, repetiu o mergulho, voltou a sacudir as asas e recolheu de novo ao tufo de vegetação de onde saira para o primeiro banho do ano.
Afinal, todos os animais tomam banho, e, mesmo os porcos que são "porcos", só vão chafurdando na lama, quando não têm água limpa por perto...

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

EU SOU CHARLIE E RONALDO

Depois de mais um remate dourado para o Ronaldo, nem eu deveria ter disposição para sacudir e libertar a gola do casaco dos salpicos que lhe vão pespegando.
No tabuleiro do xadrez do Mundo actual, há muitos culpados, que os santos vão voando lá mais no Alto. E, não sou eu quem vai gastar lixívia a limpar-lhes as nódoas, sejam americanos, russos, israelitas, palestinianos, norte-coreanos, franceses, ingleses.....ou de qualquer bandeira).
Ainda assim, desconhecendo se para além de Job, haverá alguma divindade a quem rogue uma boa dose de paciência, tropeço em cada tratado de sapiência e de domínio do oculto, que não me sinto bem a digerir, sozinho, tantos pratos de caviar fora de prazo e tantas litradas de vodka acidulado.!.
Então não é que os novos descobridores, navegantes dos mares iluminados pelas estrelas de Centauro, sem que os próprios sejam metade homens e metade cavalos, que há sempre metades em falta, chegaram a estas remotas paragens de conclusões, aproveitando pontas da realidade (que as há, nalguns dos casos que vou descrever, sei reconhecer), para a construção da integral barca da verdade?! :
- os culpados do massacre no Charlie, foram os judeus e não os assassinos, que se os israelitas têm o direito de bombardear o Hamas, os radicais islâmicos podem matar judeus em qualquer lugar do Mundo, mesmo que estejam numa qualquer mercearia a encher o saco das compras. Esta, faz-me lembrar um Toninho da Primária que, useiro e vezeiro em atapetar a sala de aula com "xuinga", sempre que a "Setora" o repreendia, se desculpava que o parceiro de carteira fazia o mesmo!;
- a culpa é dos americanos que forneceram as armas aos bandidos, mesmo sabendo que as deste e doutros crimes de semelhante barbaridade e autoria, são Kalashnikov, a arma criada pelo russo Mikhail e com fabrico em série nos blocos de Leste;
- a culpa é dos caricaturistas do Charlie, as vítimas, porque se excederam no sagrado uso da Liberdade de Expressão e a que os terroristas se limitaram a responder, como se um excesso de linguagem ou de qualquer expressão fosse punido com a morte, pena que as próprias sublimes mentes condenam..;
- Apodar os terroristas assassinos de radicais sem alma e surumados sem tino, é "islamofobia", quando sabemos que ninguém no seu perfeito juízo, toma a parte pelo todo e confunde estes grupelhos de bandidos que vestem a capa do Profeta, com os pacíficos seguidores da palavra de Maomé;
Sabendo-se que, no que às caricaturas de Charlie importa, e eu já o referi por aqui, muitas me desagradaram e terão sido mesmo um abusador golpe na própria Liberdade de Expressão e ofensa gratuita a vários Credos, o que me não impede, em nome dessa mesma Liberdade de Expressão e em memória das vidas cobardemente ceifadas, proclamar que SOU CHARLIE, o flamejante pensamento de quem se diz defensor dos pobres e dos oprimidos, dos titãs que dizem defender o panteão dos Direitos Humanos, dos corta-cabeças de Salazar que excomungam a Censura então vigente, e, até, sabe-se lá, de entre a rapaziada que lutou pela defesa dos morcegos do Alqueva e pelas avezinhas do Coa, impele-os ao apoio dos que, com o direito de o não serem, mas com o dever de invocarem razões verdadeiras ao invés de se perderem em justificações que quase absolvem os assassinos, andam por aí aos heróicos gritos de: "EU NÃO SOU CHARLIE"!
Como diria um velho amigo: vão-se catar!  Que JE SUIS CHARLIE e, honra lhe seja feita SOU RONALDO!
                                                                               Vouguinha

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

O FERRADOR DE SÃO PEDRO

 Não me obriguem a vestir o colete à prova de bala, que o cartoon não é do Charlie, embora eu o seja, não pelos cartoons de sua autoria, sendo que alguns até me desagradavam, mas pela Liberdade de Expressão e pela memória das vítimas daquele acto cruel e sem perdão!

domingo, 11 de janeiro de 2015

1143

Também não gostei que alguém tenha pichado a parede da Mesquita de Lisboa. É um acto gratuito, de pouco siso e duvidoso alcance.
O que me espantou foi a ênfase com que algumas estações televisivas, logo secundadas pelos órgão de informação escrita, transmitiram a notícia, na abertura dos telejornais, apodando o acto de "vandalismo" : " VANDALIZADA A MESQUITA DE LISBOA". Porque, no meu entendimento, vandalizar tem uma conotação que anda em torno de "Destruir ou danificar de forma brutal e gratuita", a minha reação inicial foi de espanto e preocupação, imaginando que teria havido destruição de monta naquele templo muçulmano. Afinal, tudo não passou duma parede pichada com uma data, a exemplo dos grafites, muitas vezes sem arte ou "nota artística", como diria Jorge Jesus, com que alguma rapaziada, por falta de tino ou excesso de hormonas, pinta paredes de Igrejas, monumentos, prédios e, até, placas de sinalização rodoviária.
Não se admitindo, nem aquela da notícia, para mim, sensacionalista, nem as outras que as televisões sempre omitiram, limitando-se a uma breve nota, quando de templos cristãos, cemitérios e outros locais de culto são "roubados" valores e símbolos da Fé, tenho para mim que, por vezes, sem se dar conta, alguma CS despeja gasolina numa chama acesa, fazendo, involuntariamente, o que esses grupos radicalizados, terroristas, que deturpam os ensinamentos do Corão que dizem seguir, pretendem, para servirem os seus animalescos instintos de violência, essa sim, de vândalos da pior espécie.
De que a Religião Muçulmana não terá culpa. Como culpa não teve a Igreja Católica, quando alguns dos seus mensageiros terrenos, entenderam enveredar pela violência da Santa Inquisição.
Há que separar as águas, sem que haja perdão para grupos da barbárie, seja qual for a opa religiosa com que cubram os seus verdadeiros e reles objectivos bem terrenos, em que o ódio e a vingança são palavras de ordem!
E, há, sobretudo, na Europa, que retomar os "valores" que são fundados na Fé Cristã, que, afinal, esteve na génese da construção e no afirmar da civilização ocidental. É o caminho mais fácil e assertivo, para que a Europa seja respeitada e saiba respeitar outros credos milenares.
Mas, isto digo eu, que me lembrei de vir "vandalizar" esta minha Página!
Com 1143!

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

CARTOONS E LIBERDADE

Bem sei que os franceses, no seu todo, têm uma Cultura de vanguarda, atropelando, não poucas vezes, a Alma duma Velha Europa, forjada e sedimentada na esteira secular do Cristianismo e dos seus valores ancestrais. Estou a lembrar-me, não só das caricaturas das Igrejas e dos seus Pastores, dos filmes de sentido enviesado sobre a vida de Cristo, para lá do apoucamento de valores que são argamassa da Sociedade Humana.
Recordo-me, até, de não haver simpatizado com cartoons que, no meu entendimento, iam para lá da imaginação razoável e da criatividade. Senti-me no direito de não gostar, mas entendi do direito de quem os concebeu, os trazer à estampa. A vida humana, nas ideias, opiniões expressas, também é feita do contraditório. Do equilíbrio, depois do desiquilíbrio.
O que ninguém, em nome seja do que for ou de Quem for, tem é o direito de cercear a grande conquista que, mais do que outras, "estribilhadas" pelas aves canoras do costume, é a Liberdade de Expressão.
O produto dessa Liberdade pode não agradar, nem é suposto que agrade a todos. E, pode, e deve, ter réplica adequada ou o simples gesto da indiferença.Se lesa direitos a receptores, há o Direito, a Justiça, para que o emissor responda pela sua expressão livre 
Mas, não me façam a cabeça, que se deixem de eufemismos e conjecturas bacocas: o que aconteceu em Paris foi acto de gente animalesca, alienada ou surumada, intoxicada em nome duma Religião que nada tem a ver com isto. Por mais doutas e floreadas teses que se vertam por aí!
E, porque a Liberdade de Expressão num Mundo Livre, é um dos valores a preservar, continuarei, convictamente a proclamar:
JE SUIS CHARLIE!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

CHARLIE


Pela Liberdade de Expressão, contra a intolerância cega!
E, pela memória das vítimas das bestas sanguinárias!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

O TERROR DA DEFLAÇÃO"

Enquanto a Europa em crise, passa o tempo a comentar e debater inflações e deflações, se a Grécia vai ter Syrisa ou se o Syrisa vai ter a Grécia, com ou sem União, se o Hollande "borrou" a escrita toda com as nutridas e promissoras promessas que, à bom socialista, não cumpriu; se a Merkell tem mais ou menos prepotência, ou se já a vergaram em dama caridosa,  os braços do radicalismo muçulmano vão-se estendendo e instalando.
Falar nisso, é probido, que quem tem "inhofe" tem medo e os comentários com arroz doce à moda da Avó e aletria cm canela não fazem mal à saúde de ninguém. Enquanto, no pior dos vómitos, se toma o partido ou compreensão por estes movimentos de intolerância, de tontos idealismos radicais, que, no íntimo os assustam, mas que a cobardia nem um arroto breve consente, paulatinamente, mas com frequência preocupante, DESTAS COISAS vão acontecendo entre muros deste velho e soçobrado Continente!

Que, terror, terror, é só o da deflação!...

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

O TOMÁS É FIXE!


Fixe era Eusébio, a quem, neste aniversário do seu passamento, me curvo com gratidão, esperando que repouse na Paz e Glória que soube merecer em vida!
Fixe, vai também sendo o Luisão!

 Não é "Vouguinha", pois nasceu junto ao Tejo, mas é filho e neto de sampedrenses e vouzelenses. Sócio do Glorioso, desde o dia de nascimento, já dificilmente deixará de ser mais um de águia ao peito na Catedral do bom Desporto!....
  Já sei: que nem dão liberdade de escolha, que é uma violência, que é despersonalizar as crianças...blá...blá....blá.... A esses teóricos, e tenho ouvido muitos, aqui o Vouguinha mais velho questiona das razões que levaram os que já Deus guarda, e a cuja memória me curvo, a levarem-no à pia baptismal, fazendo dele cristão - que, por mero acaso, continua a ser -, sem que lhe fosse dado direito de opção por outro Credo!
  O Tomás é benfiquista, enquanto quiser, e que seja para sempre,  e o avô só lhe pode desejar que o Glorioso lhe venha a proporcionar  tantas alegrias quantas aquelas que lhe calharam em sorte naqueles anos rubros da década de sessenta!